LANÇAMENTO

Maranhense lança livro sobre a vida e obra do cantor e Tom Zé

O codoense Helen Lopes, escreve livro Vaia de bebo não vale!, que será lançado neste sábado (10) no Café Guará – Chico Discos, no Centro de São Luís.

Reprodução

Considerado uma das figuras mais originais da música popular brasileira, tendo participado ativamente do movimento musical conhecido como Tropicália nos anos 1960 e se tornado uma voz alternativa influente no cenário musical do Brasil,o um compositor, cantor, arranjador Antônio José Santana Martins, conhecido como Tom Zé, serviu de inspiração para o codoense Helen Lopes, escrever o livro Vaia de bebo não vale!, que será lançado neste sábado (10) no Café Guará – Chico Discos, no Centro de São Luís.  

Segundo Helen Lopes, a obra é uma viagem por meio de sua discografia, desde os tempos da Tropicália até o CD Jogos de armar, lançado em 2000. Com um texto provocante, escrito sem concessões e construído de forma sarcástica, Helen Lopes retrata aquele período de efervescência cultural e experimentações artísticas, para saudar um dos compositores mais irreverentes e criativos da música popular brasileira.

Nascido 11 de outubro de 1936, em uma família abastada por conta de um bilhete premiado de loteria, Tom Zé passou a infância no sertão baiano na sua cidade natal Irará. Seguiu estudos ginasiais, pois sua música transmitida por comunicação oral. Já adolescente, passou a se interessar por música e estuda violão.

 O cantor e compositor inspirou sua atuação como artista na figura do “homem da mala”. O homem da mala era um personagem muito recorrente no interior do Brasil, tratava-se de mercadores que viajavam pelas cidades vendendo produtos variados. Como estratégia para melhorar as vendas, esses homens promoviam verdadeiros shows em praça pública, onde demonstravam a utilidade de seus produtos.

Ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Maria Bethânia e Djalma Corrêa no espetáculo Nós, Por Exemplo nº 2, no Teatro Castro Alves, em Salvador. Com o mesmo grupo, vai a São Paulo encenou Arena Canta Bahia, sob a direção de Augusto Boal, onde em seguida gravou o álbum definidor do movimento Tropicalista, Tropicália ou Panis et Circensis, em 1968.

Oportunidade de conhecer o artista

Entre altos e baixos na carreira, Tom Zé passou a atrair plateias da Europa, Estados Unidos e Brasil, especialmente após o lançamento do álbum Com Defeito de Fabricação, em 1998 eleito um dos dez melhores álbuns do ano pelo The New York Times. O cantor continua na ativa com suas composições provocadoras e recheadas de críticas sociais.

Vaia de Bebo não vale! é uma oportunidade para quem quer conhecer mais a obra de Tom Zé. O livro vem embalado num show de imagens, que nos jogam diretamente no turbilhão de cores e figuras da contracultura, passando pelo ostracismo vivido por Tom Zé até o seu ressurgimento no mercado musical, no início da década de 1990. Tudo narrado através das letras de músicas, falas, citações e “plagiocombinações”, retiradas do momento em que foi bordado o manto do tropicalismo na cultura brasileira.

O livro é um lançamento da editora Passagens, de São Luís, e está disponível para o download gratuito no link: https://editorapassagens.blogspot.com/2019/04/tom-ze-e-um-capitulo-especial-quase.html

SOBRE O AUTOR

Helen Lopes é natural de Codó – MA. Possui graduação e mestrado em História, mas seu verdadeiro ofício é de fotógrafo e cineasta. Dirigiu os curtas Romana, com passagens por vários festivais, e Andarino, além do longa Capuz, finalizado recentemente, todos disponíveis para download. Reside em Palmas – TO.

SERVIÇO

O que? Vaia de bebo não vale!

Quando? Neste sábado (10), às 17h

Onde?  Café Guará – Sebo Chico Discos Esquina da rua São João com Afogados

Quanto? O valor do livro não foi informado

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias