ROCK

Serguei, ícone do rock brasileiro, morre aos 85 anos

Aos 82 anos, roqueiro Serguei revela que está sem dinheiro e doente

Reprodução

O músico Serguei, o Divino do Rock, morreu na manhã desta sexta-feira (7) aos 85 anos. Ele estava internado em um Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Regional do Médio Paraíba (Zilda Arns), em Volta Redonda, no Sul Fluminense. A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro.

O corpo do artista será levado para Saquarema, na Região dos Lagos, onde será enterrado. Ainda não há informações sobre o horário do velório e do enterro.

O cantor permaneceu internado no Nossa Senhora de Nazaré, distrito de Bacaxá, em Saquarema, por 22 dias antes de ser transferido para o hospital de Volta Redonda, no dia 29 de maio. Ele tinha dado entrada na unidade com quadro de desidratação, pneumonia e infecção urinária.

O amigo de Serguei, Sergio Loeffler foi a última pessoa a visitar o artista. Ele esteve ontem no hospital e deixou o local bastante abalado. “Está muito difícil para mim. Ontem, depois da visita, eu soube que ele estava indo embora. Ele estava muito abatido e magro”, afirmou. Na visita, Sergio disse que cantou (I Can’t Get No) Satisfaction, dos Rolling Stones, e Serguei reagiu balançando as mãos e os pés. O artista, no entanto, não conseguiu falar porque estava entubado. “Mostrei também alguns vídeos no celular. Foi uma ‘festa’ a visita”, contou. “Serguei foi um cara queridíssimo, sensacional. Foi um pai para mim. Me identifiquei totalmente com ele. Uma paixão à primeira vista”, completou.

Em 2015, a reportagem do UOL visitou o Templo do Rock, em Saquarema, para conversar com o artista sobre três filmes que estavam sendo feitos sobre sua vida. Na ocasião, o cantor disse que esperava viver até os 100 anos e não reclamava da idade e, sim, da velhice. “A velhice é uma merda”, afirmou.

Divino do rock

Sérgio Augusto Bustamante nasceu em 8 de novembro de 1933. Filho de um executivo da IBM, Domingos Bustamante, ele teve um amigo russo na infância que o chamava de Serguei e o apelido acabou pegando. Morou com a avó paterna em Nova York, nos Estados Unidos, quando ainda era adolescente e participou de festivais estudantis.

De volta ao Brasil, trabalhou em bancos e como comissário de bordo. No retorno aos Estados Unidos, iniciou sua carreira na música e esteve no famoso Festival de Woodstock, em 1969. O cantor afirmava que teve um relacionamento amoroso com a cantora Janis Joplin no final daquele ano.

Quando Janis Joplin visitou o Brasil em 1970, Serguei foi uma das pessoas que acompanharam a artista no Rio de Janeiro. Em 1972, Serguei mudou-se para Saquarema, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. Em sua residência foi criado o Museu do Rock, administrado por Serguei e constituído de peças de roupas, discos, prêmios, cartazes, filmes e outros materiais sobre sua carreira. Serguei também morava no museu.

Conhecido como O Divino do Rock, ele lançou 11 discos durante a carreira e chegou a tocar no Rock in Rio II (1991) e Rock in Rio III (2011). Serguei continuou ativo na música até o final de 2018, tocando com sua banda Pandemonium.

Serguei não deixa herdeiros.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias