DO CARNAVAL PARA O SÃO JOÃO

Barrica intensifica ensaios para o 35º festejo da companhia

Com aproximação da temporada junina 2019 a Companhia Barrica tem intensificado seus ensaios que mobilizam mais de 120 pessoas, entre brincantes e apoiadores

Reprodução

A programação oficial do São João do Maranhão 2019 só será aberta no dia 19 de junho, mas a Companhia Barrica, um dos grupos artísticos mais tradicionais do Maranhão, segue com ritmo frenético de ensaios para mais uma temporada junina.

Neste ano, a Companhia tem um motivo especial para comemorar. Em 2019, a companhia celebra o 35º festejo junino do Boizinho Barrica, como conta o poeta, compositor, fundador e diretor da Companhia Barrica, José Pereira Godão. “É uma emoção muito grande, muita celebração, rituais em memória de todas as pessoas que contribuíram para evidenciar tudo isso, na poesia, na palavra, na cantoria e na energia do grupo de dança”, ressalta o artista.

Do ano de seu surgimento até os dias atuais, muita coisa mudou. Hoje a Companhia Barrica é uma das mais consagradas da cultura popular maranhense e acumula turnês nacionais e internacionais. A Cia Barrica já apresentou as belezas do folclore maranhense em países como Alemanha, Argentina, Canadá, Japão, Coréia, França, Itália, México, Portugal, Emirados Árabes e China.

O grupo conta ainda com outros espetáculos ao longo do ano, como o carnavalesco ‘Bicho-Terra’, o auto de natal e quaresma ‘Natalina da Paixão’ e o ‘Maranhão de Festejos’, musical síntese de todas as suas produções artísticas.

É justamente após o encerramento das festividades do Bicho Terra que o corpo de baile da Cia inicia os ensaios para a festa junina, de acordo com a advogada Jordana Brito, dançarina do grupo.  “A nossa preparação começa logo depois do carnaval. A partir daí, a gente intensifica na academia em busca de resistência física para aguentar os ensaios”, diz Jordana.

Para a advogada, participar da Companhia Barrica é antes de tudo uma forma de contribuir socialmente com a cultura popular: “Além de ser uma diversão, a gente acaba cumprindo uma função social, porque na Companhia a gente traz toda a resistência dos sotaques maranhenses, a Companhia engloba todos os sotaques”.

O dançarino André Luís Lima entrou na Companhia Barrica em 2009, afastou-se por um tempo do grupo e se prepara para retornar aos palcos dos arraiais esse ano com grande expectativa. Ele avalia que dançar no Barrica é uma “forma de terapia”. “Dançar é uma forma de se expressar. Então a gente vem pra cá pra tirar aquela carga pesada do trabalho, dos problemas de casa. Por mais que algumas pessoas vejam que é muito cansativo, mas o prazer de você estar aqui, só quem dança sabe”, assegura.

Do Carnaval ao São João

“A tradição é no mês de maio, tá todo o povo ensaiando.” Foi com esse trecho de canção escrita por Chico Saldanha e interpretada pelo cantor Tião Carvalho que Godão explicou como vem sendo a rotina de ensaios da Companhia Barrica neste ano. “Toda a Ilha ensaia, aquecendo essa fogueira junina. O Barrica não faz diferente”, ressalta o músico.

Mas, para Godão, a temporada junina começa mesmo a partir do dia 18 de maio, quando a Companhia realiza na Casa de Arte Barrica, na Madre Deus, o “Sabadão do Carnaval ao São João”. Segundo Godão, o momento marca a passagem dos festejos carnavalescos para as festas juninas. Para o momento, são esperados muitos batalhões da Ilha, além de um convidado especial direto de São Paulo: a Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé.

Para o São João do Maranhão 2019, a Companhia Barrica mobilizou mais de 120 pessoas, entre brincantes e apoiadores. No repertório, clássicos e músicas novas escritas pelos compositores Luís Bulcão, Inácio Pinheiro e Roberto Brandão.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias