PESSOAS

Mamãe tá na rede: Adultos na era digital

A internet vem sendo cada vez mais o território dos adultos. Já se foi o tempo em que viver “antenada” á era digital era privilégio apenas dos adolescentes

Reprodução

Foto Reprodução

Sabe quando você luta para esconder aquele clique que te mostra de maneira totalmente maluca? Ou quando você tem que pôr privacidade em todas as redes sociais por que de repente sua mãe resolveu ter redes sociais?

        A internet vem sendo cada vez mais o território dos adultos. Já se foi o tempo em que viver “antenada” á era digital era privilégio apenas dos adolescentes

        Segundo pesquisa feita pelo IBGE o número de perfis em redes sociais criadas por pessoas acima dos 30 anos vem crescendo gradativamente daí, Surge a tão terrível preocupação em esconder àquela foto comprometedora na balada ou entao aquele “crush” com quem você esta saindo também.

        Alguns pais se mostram até mesmo mais liberais e querem levar uma vida mais “maneira” e se misturar junto aos amiguinhos dos filhos, outros até realizam postagens pra lá de constrangedoras. Que pra qualquer adolescente gera o tão pavoroso “suicídio social.”

       Então, entra aquela pergunta que não quer calar. Bloquear ou não bloquear?

Já é complicado administrar e ter uma boa relação em casa. Mas o que fazer quando essa relação passa a ocupar também o mundo virtual?

      A convivência entre pais e filhos nas redes sociais tendem a gerar certos conflitos de relacionamentos. E nem sempre é fácil deixar de ultrapassar certos limites de privacidade quando o assunto é ser mãe, e quando o investigado em questão nas redes sociais é seu filho.

Para Flavia Regina Tavares de 35 anos mãe de Vanessa Tavares de 18 anos existe acima de tudo a preocupação em monitorar as redes sociais da filha.  “Sempre quando posso estou sempre perto olhando e enchendo ela de perguntas. Ás vezes sou chamada de chata e é aquela coisa. Ela fica brava e começa dizer que é só amigo. Ela não gosta, mas eu fico no pé. ”

     Mas, para Flavia que além de mãe é micro empresária as redes sociais ajudam ela a divulgar seu trabalho. Ela trata as pessoas de suas redes sociais como amigos do dia a dia. Mas, quando o assunto é sua filha Flavia na mesma hora muda o foco e passa a ser uma espécie de detetive virtual. São cliques aqui, cliques ali, tudo isso para saber mais sobre o cotidiano da filha nas redes sociais.

      “Sempre surge aquela preocupação do que está acontecendo. Eu fico dando sempre apoio, fazendo minhas orientações para que ela não desvie do caminho dela, tratar com adolescente é bem complicado eu sei por que tenho minha filha e sei como é. Mas acho tudo isso super normal, pois sempre fui aquela mãe super protetora isso vem de família. Minha mãe também agia da mesma forma. ”

       Já Vanessa aceita a preocupação da mãe, mas acha que ela poderia ser um pouco mais discreta na hora de bisbilhotar suas redes sociais. “Ela sempre visualiza minhas postagens e fica me perguntando quem é, onde eu estava, com quem estava, quem a pessoa na foto, de onde eu a conheço. A vezes eu acho engraçado em ao invés de me aborrecer. Eu sei bem como é a realidade de hoje pois tenho amigos que já passaram por cada situação chata e constrangedora por causa de redes sociais. ”, Afirma Vanessa.

      Em outros casos as redes sociais se tornaram pontes para quem esta longe. A saudade se torna pequena com a proximidade que a rede social pode proporcionar. É o caso de Lucia Lima de 55 anos e a filha Priscila Furtado de 28 anos. A filha está longe há seis anos e devido ao trabalho, só consegue vir ver a família uma vez ao ano.

      Quando questionada sobre sua mãe ter redes sociais Priscila afirma que tudo melhorou quando a mãe aprendeu a usar a internet. “Nossa! Falamos-nos desde a hora que acordo até a hora de dormir. Prático e simples assim. E nem sempre consigo dar um telefonema, pois não tenho muito tempo entre um trabalho e outro. ”

      Até nas coisas mais banais como aprender a cozinhar, o uso da rede social ajuda a mãe a passar algumas dicas à filha afirma Priscila.  “ Mandei mensagem por que estava precisando saber sobre comidas. Mandei algumas fotos e ela foi me explicando tudo. ”

      Ainda sobre a distância e a facilidade que a internet proporciona a mesma afirma que com o trabalho e estudo, acabou ficando sem tempo. “ Nesse período só consigo ver minha mãe uma vez ao ano, e se não fosse à bendita internet o caos no coração estaria tenso. ”

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias