TEATRO

O Maranhão presente na mostra a_ponte

Resultado da convocatória realizada no ano passado pelo instituto, a mostra de 12 dias apresenta 14 espetáculos de 11 estados selecionados entre inscritos de todo o país

Reprodução

Parte da produção teatral emergente de espaços de formação em todo o país chega ao Itaú Cultural com a_ponte: cena do teatro universitário, mostra a ser realizada de 24 de janeiro (quinta-feira) a 4 de fevereiro (primeira segunda-feira do mês). Com quase 180 participantes vindos do Amazonas, Bahia, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, o evento apresenta 14 espetáculos selecionados entre os 230 inscritos na convocatória aberta em outubro do ano passado pelo instituto para estudantes de cursos técnicos e universitários de artes cênicas espalhados pelo território nacional. Os trabalhos são marcados pelo hibridismo de linguagens como dança, teatro de bonecos, ações performáticas, teatro de rua e caixa cênica, além da presença de temáticas voltadas a questões raciais, de gênero e política.

O resultado é uma grande mostra que abre espaço ainda para debates sobre a produção cênica neste ambiente, intercâmbios entre os participantes e a participação especial dos grupos Coato e Nós do Morro – vindos, respectivamente, de formações acadêmica e livre, hoje eles estão consolidados no cenário do teatro nacional. Ao longo da programação, o público participa de uma enquete sobre qual espetáculo gostaria de ver novamente apresentado no Itaú Cultural.

O mais votado será convidado a voltar ao palco da instituição para uma minitemporada. “O teatro é a arte do encontro e o Itaú cultural serviu de ponte para aproximar estudantes e professores de todas as regiões do país confirmando o potencial de inovação do teatro estudantil brasileiro”, observa a gerente do Núcleo de Artes Cênicas do instituto, Galiana Brasil.

A ideia, de acordo com ela, é que a mostra revele um recorte desse mapeamento múltiplo e inquieto que a convocatória revelou. “Assim, se dá corpo a uma espécie de sala de aula expandida, em que o público poderá acompanhar processos de aprendizagem materializados não apenas nas cenas como também nas ações formativas inspiradas pelas vozes desses trabalhos”, conclui Galiana.

ANIVERSÁRIO DE SÃO PAULO

A programação abre na véspera do aniversário de São Paulo, dia 24 de janeiro (quinta-feira), às 20h, com Eu é outro: Ensaio sobre fronteiras, do Grupo Coato, convidado especial para o evento. Trabalho de conclusão do curso de direção de Marcus Lobo, estudante da Universidade Federal da Bahia, o espetáculo debate, entre outras questões, as fronteiras que existem entre as pessoas, bem como as possibilidades de integração. A reflexão parte da percepção e reformulação do corpo dentro de um todo como coletivo/organismo/integrado que perpassa questões geradas pelas relações com os outros.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias