RECONHECIMENTO

Escritora vence prêmio com obra que trata da fundação de São Luís

O livro descorre também sobre os primórdios da colonização do Maranhão

Escritora

A Promotora de Justiça, poeta e escritora Ana Luiza Almeida Ferro é a vencedora da edição 2015 do Prêmio Literário Nacional PEN Clube do Brasil, na Categoria Ensaio, com sua obra 1612: os papagaios amarelos na Ilha do Maranhão e a fundação de São Luís (Curitiba: Juruá, 2014, 776 p.), que trata da França Equinocial, da fundação da cidade de São Luís e dos primórdios da colonização do Maranhão.

A cerimônia de premiação foi prestigiada por representantes de várias associações culturais, a exemplo do presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL) e do presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB). Na oportunidade, o PEN Clube do Brasil, presidido pelo escritor Cláudio Aguiar, fez a entrega aos vencedores dos prêmios literários concedidos anualmente pelo Clube Literário.
“Eu fiquei muito feliz com essa premiação por duas coisas: primeiro porque concorri com várias outras publicações do Brasil, e segundo porque é um ensaio que fala de São Luís”, comenta a promotora.
Criado em 1938, o tradicional Prêmio Literário Nacional PEN Clube do Brasil é um dos mais antigos e prestigiosos certames brasileiros. O Prêmio, em sua fase atual, é oferecido a todos os escritores brasileiros que tenham publicado obra nas categorias Poesia, Ensaio ou Narrativa nos últimos dois anos, ou seja, entre 1º de janeiro de 2013 e 31 de dezembro de 2014. A Comissão Julgadora, após examinar todas as obras inscritas, premiou, além de Ana Luiza Ferro, os autores Izacyl Guimarães Ferreira e Cyro de Mattos.
O livro 1612: os papagaios amarelos na Ilha do Maranhão e a fundação de São Luís, tem uma versão europeia (Lisboa: Juruá Editorial), sob o título 1612: os franceses na Ilha do Maranhão e a fundação de São Luís e já recebeu a Menção Honrosa do Prêmio Pedro Calmon – 2014, do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), em 18 de março deste ano.
Com mais de uma dezena de livros publicados, Ana Luiza ocupa a Cadeira nº 31 da Academia Ludovicense de Letras (ALL), patroneada pelo historiador Mário Meireles. Ela é Doutora e Mestre em Ciências Penais (UFMG), Membro de Honra da Sociedade Brasileira de Psicologia Jurídica, sócia efetiva do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão e membro de várias academias de letras (AMLJ, ALL, ACL, APLJ).
É autora dos livros O Tribunal de Nuremberg(2002), Versos e anversos (2002, em coautoria), Escusas absolutórias no Direito Penal (2003), Robert Merton e o Funcionalismo (2004), O crime de falso testemunho ou falsa perícia (2004), Quando: poesias (2008),  A odisséia ministerial timbira: poema (2008), Interpretação constitucional (2008), Crime organizado e organizações criminosas mundiais (2009), pelo qual foi entrevistada no Programa do Jô (Rede Globo), O náufrago e a linha do horizonte: poesias (2012), Criminalidade organizada (2014, em coautoria), 1612 (edições brasileira e europeia, 2014), entre outras publicações.
Ana Luiza se junta à conquista de outros maranhenses que também foram premiados no PEN, a exemplo de Josué Montello, Odylo Costa Filho, Ferreira Gullar, entre outros. “É uma honra ter vencido esse prêmio que é tão tradicional e por onde já passaram pessoas tão importantes da literatura”, diz Ana Luiza.
Dentre os autores que ao longo das décadas conquistaram o Prêmio Pen Clube do Brasil, estão: Antônio Calado, Jorge Amado, Antonio Cândido, Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade, Fernando Sabino, Marques Rebelo, Álvaro Lins, Cyro dos Anjos, Cassiano Ricardo, Dalton Trevisan, Josué Montello, Nelson Werneck Sodré, Rubem Fonseca, João Cabral de Melo Neto, Alceu Amoroso Lima, Orígenes Lessa, Érico Veríssimo, Odylo Costa Filho, Lygia Fagundes Telles, Gilberto Freire, Marcus Accioly, Barbosa Lima Sobrinho, Moacir Scliar, Ivan Junqueira, Luíza Lobo, Salgado Maranhão, Ferreira Gullar.
VER COMENTÁRIOS
Polícia
Concursos e Emprego
Esportes
Entretenimento e Cultura
Saúde
Mais Notícias