EDIÇÃO DIGITAL

Batalha de robôs agita o público na Feira de Ciências e Tecnologia

Duelo de robôs tem agitado o público na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT)

Reprodução

Fa­lar so­bre ro­bó­ti­ca soa ge­ral­men­te co­mo al­go com­ple­xo, dis­tan­te e de di­fí­cil com­pre­en­são, mas du­ran­te es­ta quar­ta-fei­ra (17), se­gun­do dia da Se­ma­na Na­ci­o­nal de Ci­ên­cia e Tec­no­lo­gia (SNCT), pro­mo­vi­da pe­lo Go­ver­no do Ma­ra­nhão, por meio da Se­cre­ta­ria de Es­ta­do da Ciên­cia, Tec­no­lo­gia e Ino­va­ção (Sec­ti), de­ze­nas de es­tu­dan­tes que com­pa­re­ce­ram à Are­na Ro­bó­ti­ca do even­to pu­de­ram per­ce­ber que é pos­sí­vel apren­der brin­can­do so­bre pro­gra­ma­ção de robôs.

“Os alu­nos que vêm aqui fi­cam mui­to in­te­res­sa­dos pe­la ro­bó­ti­ca, é pos­sí­vel per­ce­ber pe­lo bri­lho nos olhos de­les. Uti­li­za­mos uma metodo­lo­gia no­va e en­vol­ven­te, sain­do do lú­di­co dos li­vros e partindo pa­ra a prá­ti­ca. A ro­bó­ti­ca já mu­dou a vi­da de mui­tos alunos dos IE­MAs e es­ta­mos aqui com­par­ti­lhan­do es­sa mu­dan­ça, e is­so é um gran­de avan­ço pa­ra o Ma­ra­nhão”, Fá­bio Au­ré­lio Cos­ta, coor­de­na­dor de Ro­bó­ti­ca do IE­MA.

A Are­na Ro­bó­ti­ca pos­sui oi­to es­pa­ços pa­ra que os fre­quen­ta­do­res com o apoio dos mo­ni­to­res pos­sam co­nhe­cer so­bre pro­gra­ma­ção robó­ti­ca, pe­ças e fun­ci­o­na­li­da­des, tu­do de uma for­ma bem di­dá­ti­ca. Após ad­qui­ri­rem es­se co­nhe­ci­men­to os par­ti­ci­pan­tes vão pa­ra o proces­so de mon­ta­gem dos robôs, en­cai­xan­do as pe­ças de acor­do com as fun­ções de ca­da uma. E ao fim, com os robôs já mon­ta­dos, é ho­ra da com­pe­ti­ção: um ca­bo de guer­ra en­tre as má­qui­nas e ven­ce a que ti­ver me­lhor po­tên­cia.

Pa­ra a es­tu­dan­te Pa­lo­ma da Paz dos San­tos, par­ti­ci­par da Are­na foi uma ex­pe­ri­ên­cia ino­va­do­ra. “Es­tou achan­do mui­to in­te­res­san­te, por­que não co­nhe­cia es­sa par­te de ro­bó­ti­ca e quan­do che­guei aqui e vi vá­ri­os ví­de­os, as pe­ças, fi­quei bem im­pres­si­o­na­da.

Es­se even­to é re­al­men­te ma­ra­vi­lho­so, pois a tec­no­lo­gia faz par­te da nos­sa vi­da”, co­men­tou a es­tu­dan­te de 18 anos, do mu­ni­cí­pio de Santa Ri­ta.

O pro­fes­sor de His­tó­ria que tra­ba­lha com Ro­bó­ti­ca no IE­MA, Wilfred Fer­rei­ra Ba­tis­ta co­men­ta que as cri­an­ças e ado­les­cen­tes já se en­con­tram in­se­ri­dos em um am­bi­en­te di­gi­tal, con­vi­ven­do com diver­sas mí­di­as e tec­no­lo­gi­as, e a pro­pos­ta da Are­na é jus­ta­men­te des­mis­ti­fi­car os co­nhe­ci­men­tos so­bre ro­bó­ti­ca pa­ra que to­dos possam apren­der de for­ma sim­ples.

“Apre­sen­ta­mos pa­ra os alu­nos co­mo mon­tar uma es­tru­tu­ra bá­si­ca do robô. Acho que é um mo­men­to bem im­por­tan­te pa­ra es­ses jovens, que já nas­ce­ram in­se­ri­dos no meio tec­no­ló­gi­co, en­tão a ideia da ro­bó­ti­ca é jus­ta­men­te agre­gar aqui­lo que eles vêm no dia a dia, na te­o­ria, com aqui­lo que eles re­la­ci­o­nam com a prá­ti­ca.

Des­sa for­ma a pro­pos­ta é jus­ta­men­te des­mis­ti­fi­car es­se co­nhe­ci­men­to pa­ra que os alu­nos apren­dam brin­can­do, atra­vés do de­sa­fio”, dis­se o pro­fes­sor.

O es­tu­dan­te Vic­tor de Je­sus, 13 anos, en­con­trou di­fi­cul­da­des no pro­ces­so, mas man­te­ve a con­fi­an­ça. “Es­tou gos­tan­do de po­der construir um robô, eu não ima­gi­na­va que era as­sim, es­tou achan­do um pou­co di­fí­cil, mas acre­di­to que vou con­se­guir, nun­ca nem pen­sei que fos­se mon­tar um robô”, dis­se.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS