Tudo unânime

O ministro Reynaldo Soares, do STJ, que seguiu o relator no terceiro voto contra o habeas corpus de Lula, é maranhense. Ele acompanhou a opinião do relator Felix Fischer. Ele entende que a pena pode, sim, ser executada após o esgotamento dos recursos em segunda instância. O final foi, novamente, por unanimidade.

O ministro Reynaldo Soares, do STJ, que seguiu o relator no terceiro voto contra o habeas corpus de Lula, é maranhense. Ele acompanhou a opinião do relator Felix Fischer. Ele entende que a pena pode, sim, ser executada após o esgotamento dos recursos em segunda instância. O final foi, novamente, por unanimidade.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias