Pedaço da história

O jornalista Reginaldo Telles nos deixou,levando para a eternidade mais de nove décadas de história de vida e de inquietude diante das mazelas que, ao longo de séculos,tornaram o Maranhão um estado de grandeza avassalada por oligarquias políticas e dominações descabidas no mundo contemporâneo.Ao lado de Neiva Moreira e Jackson Lago, Reginaldo Telles foi jornalista […]

O jornalista Reginaldo Telles nos deixou,levando para a eternidade mais de nove décadas de história de vida e de inquietude diante das mazelas que, ao longo de séculos,tornaram o Maranhão um estado de grandeza avassalada por oligarquias políticas e dominações descabidas no mundo contemporâneo.Ao lado de Neiva Moreira e Jackson Lago, Reginaldo Telles foi jornalista engajado e político militante da mais elevada qualidade.

Sua vida,portanto,foi uma fonte de reflexão para o seu tempo e inspiração para gerações futura.Foi parceiro inseparável de Neiva Moreira, outro nome que trilhou a vida toda na luta pelas liberdades democráticas no Brasil e no mundo.Se opôs às políticas dominadoras que fizeram do Maranhão um estuário de desigualdades e malversação, por aproveitadores de plantão.Quando Neiva voltou do Rio,onde se
tornou um jornalista de respeito e atinado com o mundo à sua volta,lá estava Reginaldo Telles com ele na trincheira.

Ele dirigia o matutino diário Jornal do Povo,de oposição férrea ao então “dono” do Maranhão,Vitorino Freire.Tornou-se líder na cidade e se elegeu deputado estadual três vezes,antes de tornar-se deputado federal,cassado pela ditadura.Telles e sua Maria Lúcia,que nos deixou em 2016,não arredaram pé do Maranhão,ao longo de 70 anos.Junto
com Jackson Lago,conseguiram mostrar que oligarquia não tem a resistência de um Coliseu.Pode sim,ser derrubada.

Reginaldo Telles sofreu de falência múltipla dos órgãos.
Além de jornalista, era advogado. Aos 20 anos já era redator
do Jornal O Combate, função que exerceu até 1950, momento
em que funda, junto com Neiva Moreira, o famoso e
combativo Jornal do Povo, do qual passa a ser editor-chefe.
A partir de sua atividade jornalística e política, se elege vereador
de São Luís em 1951 pelo antigo PSP de Neiva.

Casou-se com Maria Lúcia,que conheceu no sobrado em frente à sede do jornal,de cujo casamento eles tiveram 13 filhos.Além de ter ajudado a fundar a Comissão de Justiça e Paz,na Arquidiocese, em 1970,presidiu o Comitê da Anistia,organização responsável por trazer do exílio militantes políticos como Neiva Moreira.É fundador do PDT de Brizola e foi membro da Comissão Provisória que deu origem ao partido. Portanto,Reginaldo Telles fez acontecer boa parte da história recente do Maranhão.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias