Oriente-se no voto

As eleições estão chegando e, com elas, as esperanças,desinformação, dissimulação e desilusão,tudo entrelaçado no pacote da crise ética e moral a ser oferecido ao eleitor brasileiro.Antigamente,os conflitos de gerações viravam regra e compasso das atitudes dos seres que viveram em épocas diferentes.Mas isso é passado.Hoje,jovens,adultos e idosos estão no mesmo ambiente político.São o espelho ou […]

As eleições estão chegando e, com elas, as esperanças,desinformação, dissimulação e desilusão,tudo entrelaçado no pacote da crise ética e moral a ser oferecido ao eleitor brasileiro.Antigamente,os conflitos de gerações viravam regra e compasso das atitudes dos seres que viveram em épocas diferentes.Mas isso é passado.Hoje,jovens,adultos e idosos estão no mesmo ambiente político.São o espelho ou a paralaxe do momento histórico.A única coisa que não cabe a ninguém é olhar em torno e ficar omisso,indiferente e desacreditar em tudo e em todos.

Tudo que cada brasileiro precisa fazer é exercer a cidadania.É buscar informações abalizadas para encarar esses tempos sombrios na política,na economia e na democracia.E tomar a decisão de participar. Ser partícipe desse momento.Entrar na história por contribuir para um Brasil melhor.Nunca e jamais ser uma “maria vai com as outras”.Fazer
parte da política e interferir nela é o papel de cada cidadão.Afinal,todos são dependentes da política e dos políticos.

Por isso é que as eleições acontecem a cada quatro anos,para que o eleitor,senhor absoluto da sua decisão,possa repudiar os erros defenestrar os maus políticos e, ao mesmo tempo,acolher os políticos que fazem a política em prol do bem comum.É erro crasso achar que todos os políticos são corruptos.Os maus políticos adoram eleitor que não gosta de política,mas gosta de vender o voto por migalhas.A pior política é a praticada pelos políticos que se aproveitam da ignorância política das massas para assaltar o poder.

Hoje,todos sabem o que fazem e como agem os políticos em todos os níveis de representação.Do vereador ao presidente da República. Informações sobram nas mídias tradicionais e digitais.Cada eleição é uma lição.Se o brasileiro não tem o hábito de tirar lição,por exemplo,do fracasso,poderia ao menos copiar os Estados Unidos,como gosta de fazer em outros assuntos.Hillary Clinton,quando perdeu a improvável
disputa com Donald Trump,escreveu no Twitter: “Trump será nosso presidente.Devemos a ele uma mente aberta e a chance de liderar”.No Brasil, Aécio perdeu a eleição para Dilma e iniciou a contestação do resultado, que desandou para o impeachment e a crise de hoje.Logo ele.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias