O pode das fake news na guerra do voto

O mundo cibernético, mediante redes sociais e aplicativos que se multiplicam instantaneamente na internet, está mostrando a nova cara da política e da politicagem brasileira.É a maquinação eletrônica a serviço do voto popular, contra tudo e contra todos. As eleições deste ano estão mais no mundo invisível das mídias eletrônicas do que no estilo tradicional, […]

O mundo cibernético, mediante redes sociais e aplicativos que se multiplicam instantaneamente na internet, está mostrando a nova cara da política e da politicagem brasileira.É a maquinação eletrônica a serviço do voto popular, contra tudo e contra todos. As eleições deste ano estão mais no mundo invisível das mídias eletrônicas do que no estilo tradicional, da presença e do corpo a corpo perante o eleitor.O mais grave são as fake news, que invadem aplicativos como o WhatsApp, por exemplo, provocando polêmica, forjando fatos, abrindo cisões e transformando mentiras em “verdades”.

No Maranhão, a prática está danificando condutas, misturando fatos reais com invenções,num complô,operando a todo vapor na produção de notícias falsas.Elas ganharam tanta importância que se tornaram protagonistas até nas eleições americanas e devem causar impacto semelhante no pleito brasileiro em outubro.As informações fabricadas
ao gosto do freguês estão em toda parte e o tempo todo,cada vez mais ao alcance de milhões de pessoas incautas,vítimas dos fatos falseados, causando estragos irreparáveis em reputações de adversários e supervalorizando os interessados.

Por exemplo, o suicídio do médico Mariano de Castro e Silva ganhou explosiva conotação política, com mais de 20 versões noticiadas nas mídias impressas e eletrônicas,onde cada uma contradiz a outra. Nenhuma,porém,baseada em investigações sérias,dados oficiais ou análise científica do material exposto.Até supostas “cartas”aparecem
com versões contraditórias, caligrafias irreconhecíveis e interpretações desprezíveis.

Comparando mal,virou espécie de “Manuscritos do Mar Morto” tupiniquim.Tem versão pra todas as intenções.Tudo no propósito de atingir o secretário de Saúde do Maranhão,Carlos Lula e, por tabela,o chefe dele,Flávio Dino,candidato à reeleição,em disputa, até aqui, polarizada com Roseana Sarney,do MDB.O fato está sob investigação da PF.Enquanto isso,as notícias falsas, como vírus,vão atacando
a raiz da democracia brasileira, sintetizada no voto.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias