Imiscíveis ideológicos

O deputado federal José Reinaldo Tavares disse ontem, a este Bastidores, que não está confiante de que será o segundo candidato ao Senado a compor a chapa majoritária liderada pelo governador Flávio Dino. “Pelo que ele falou na entrevista à Imprensa, está tendo dificuldade”. Mesmo assim sua candidatura ao Senado “é irreversível” e que se […]

O deputado federal José Reinaldo Tavares disse ontem, a este Bastidores, que não está confiante de que será o segundo candidato ao Senado a compor a chapa majoritária liderada pelo governador Flávio Dino. “Pelo que ele falou na entrevista à Imprensa, está tendo dificuldade”. Mesmo assim sua candidatura ao Senado “é irreversível” e que se não for com Flávio Dino, vai ser com outro. O imbróglio, como se
percebe, tem forte aroma ideológico, embora Flávio esteja junto com Cleber Verde, PTB, DEM, Pros e PR.

“Vou construir uma chapa por outro partido. Mas a política é assim mesmo. Entendo a regra do jogo e entendo as dificuldades dele (Flávio)”, acrescentou Reinaldo, sem querer dizer se já pensa em qual grupo se incorporará. Convém destacar que nenhum político constrói uma chapa majoritária de um dia para outro, principalmente no Maranhão, onde a polarização na disputa do governo, até agora, está acirradamente forte entre Roseana Sarney (PMDB) e Flávio Dino (PCdoB).

José Reinaldo é um dos políticos mais experientes do Maranhão. Porém, não acompanha Flávio Dino em sua posição esquerdista. Muito pelo contrário, faz questão de ser de direita, conforme tem sido sua postura como deputado federal. No entanto, ao romper com Roseana
logo depois de sua posse no governo em 2003, passou a ser um radical anti-Sarney, mas não esquerdista. Nem quando ajudou a eleger Jackson Lago em 2006.

Com Flávio Dino, é um apego político não ideológico, mas forte. No impeachment de Dilma, pediu desculpas a Dino ao votar a favor. Apoiou Michel Temer de ponta a ponta, até nas duas votações decisivas contra seu mandato. Recentemente ficou calado ao ver Dino antecipar o apoio à candidatura do deputado Weverton Rocha, do PDT, ao Senado. Ele é líder do PDT na Câmara e orientou a bancada a votar contra o impeachment de Dilma Rousseff, além de ter sido a favor das investigações contra Michel Temer.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias