Fermento vermelho

Tem muita gente que prefere não se informar sobre o que se passa nos processos contra Lula e acaba absorvendo ou disseminando as manipulações dos conglomerados de mídia que entraram pesado na defesa da condenação do ex-presidente petista. Mas até de dentro dessas organizações que contribuíram pela derrubada de Dilma e sustentam a condenação de […]

Tem muita gente que prefere não se informar sobre o que se passa nos processos contra Lula e acaba absorvendo ou disseminando as manipulações dos conglomerados de mídia que entraram pesado na defesa da condenação do ex-presidente petista. Mas até de dentro dessas organizações que contribuíram pela derrubada de Dilma e
sustentam a condenação de Lula pela tese da “convicção” jurídica – a do domínio do fato – já se percebe que o jogo da sucessão presidencial está apenas começando. Ou vai começar agora. Com Lula candidato, ou com Lula preso.

Por exemplo, na avaliação do diretor do instituto Datafolha, Mauro Paulino, o maior beneficiário da decisão do TRF-4 que condenou Lula em segunda instância pode ser o próprio Lula. “É possível até que ganhe mais intenção de voto. A trajetória anterior do Lula mostra que ele sai fortalecido de episódios como esse”, disse Paulino ao jornal Valor Econômico. A última pesquisa do Datafolha, de dezembro, apontou Lula
com 34% dos votos, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) 17%, Marina 9%, Ciro Gomes (PDT) 6% e Geraldo Alckmin 6%.

Lula poderia até sair devastado desse processo, se a economia do Brasil estivesse dando a volta por cima e que os resultados chegassem às massas. Que o desemprego caísse bruscamente e que outros benefícios tirassem o povão do estado de incredulidade atual. Mas tais indicadores
ainda são controversos, mesmo com a taxa de juro em queda, junto com a inflação da falta de dinheiro. E também outros serviços fossem socorridos pelo governo federal, que, no entanto, não dispõe de recursos suficientes.

A unanimidade no julgamento e o aumento da pena, acolhida ipsis litteris do parecer do relator, Gibran Neto, aponta para uma cominação de votos. Com ela, a unanimidade, trancou-se a porta a recursos de embargos infringentes, encurtando o caminho para o enquadramento
de Lula na Lei da Ficha Limpa, que espera o trânsito em julgado. E também para a sua prisão. Mas inúmeros juristas e cientistas políticos alcançam, na mesma medida, o propósito de inabilitar Lula. E mais ainda: também impedir que, mesmo fora da disputa, ele se tornasse o grande eleitor, transferindo votos para outro nome do campo progressistas. Preso, estará fora da campanha; estará banido.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias