Desmanche frustrado

Pela marcha da carroça, fracassaram as tentativas de o ex-presidente José Sarney, líder máximo do MDB maranhense, sacar da coligação de Flávio Dino (PCdoB)as legendas DEM, PP e PR e levá-las a fortalecer candidatura da filha Roseana, com maior tempo de televisão e rádio. Esse momento crucial de convenções partidárias em marcha não serviu, porém, para acudir os Sarney.O ex-presidente […]

Pela marcha da carroça, fracassaram as tentativas de o ex-presidente José Sarney, líder máximo do MDB maranhense, sacar da coligação de Flávio Dino (PCdoB)as legendas DEM, PP e PR e levá-las a fortalecer candidatura da filha Roseana, com maior tempo de televisão e rádio. Esse momento crucial de convenções partidárias em marcha não serviu, porém, para acudir os Sarney.O ex-presidente agiu fortemente sobre as cúpulas partidárias que sempre o acompanharam no Maranhão.

Apesar da falação de suas mídias eletrônicas, torcendo pelo esvaziamento da aliança flavista, com conta com 15 partidos, a investida sarneísta só fez trazer à tona uma realidade nua e crua: o ex-presidente da República, mandachuva no Maranhão, Amapá e Brasília, dono da mais longa carreira político no Brasil contemporâneo, não tem mais a força hercúlea de outros tempos. É a história mostrando as suas facetas renovadoras. Vale para refletir que,até agora, Roseana sequer indicou o vice da chapa.

Enquanto isso, a última pesquisa do Instituto Exata/Jornal Pequeno, divulgada ontem, mostra Flávio Dino com quase o dobro das intenções de voto na relação com Roseana Sarney. A exemplo de outras pesquisas de agências que mais acertaram em pleitos passados, essa polarização consumada entre Dino e a filha de Sarney aponta um péssimo rumo para os demais concorrentes ao Palácio dos Leões, como Roberto Rocha e Maura Jorge, por exemplo. Seus números de intenções de voto se enroscam entre 3% e 4%.

Enquanto Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT) perderam para o tucano Geraldo Alckmin a disputa pelo centrão,organização informal do Congresso Nacional, no Maranhão parte dele está acomodada na aliança com o PCdoB. Pelo partido de filiação, os sarneístas não cansam de titularizar Dino,de “comunista”. A palavra é tão descabida e velha no mundo atual, que até Cuba está eliminando-a no anteprojeto de reforma constitucional, mencionando apenas “socialismo”.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias