A arte da guerra

Marcelo Tavares deixa a Casa Civil do governo Flávio Dino para ser candidato a deputado estadual. Leva para a campanha o seu estilo apaziguador, de fino trato e sem grito nas situações complicadas. Chega, para substituílo, o secretário da Transparência, Rodrigo Lago, com seu modo de agir dentro dos ditames da lei. São dois estilos […]

Marcelo Tavares deixa a Casa Civil do governo Flávio Dino para ser candidato a deputado estadual. Leva para a campanha o seu estilo apaziguador, de fino trato e sem grito nas situações complicadas. Chega, para substituílo, o secretário da Transparência, Rodrigo Lago, com seu modo de agir dentro dos ditames da lei. São dois estilos diferentes, mas que, no fundo, quem determina o caminho das pedras é Flávio Dino, que acompanha pari passu e com lupa tudo que ocorre no seu governo.

Primeiro,para ser responsável pela Transparência de um governo,que leva essa regra como princípio na gestão pública,não pode ser alguém parcimonioso. Ano eleitoral é ano de guerra.E a guerra, ao contrário do que muitos imaginam,não é o estado primitivo do ser humano. O homem vive pelo poder,”pela luta, vive às custas dos outros homens,teme e odeia aos outros.Logo, a vida é guerra”, dizia Herman Hesse. É nessa guerra que se ganha e se perde, se avança e se recua. A Casa Civil é a trincheira de poder que precisa de estrategista para ocupá-la, já que a guerra está declarada.

O jornalista Márcio Jerry,responsável pela articulação política e a comunicação do governo e chamado de “homem forte” do governo, agora vai cuidar de sua campanha de deputado federal.Enquanto isso, o redor do gabinete de Flávio Dino será dominado por técnicos,como Rodrigo Lago,e o substituto de Jerry.Dino vai para a reeleição mais complicada da história do Maranhão,tanto pelo aspecto ideológico da disputa, quanto pelo que ela em si representa para o grupo Sarney – continuar ou perecer de vez.Qualquer que seja o resultado, a guerra não terá fim.

Rodrigo Lago na Casa Civil confirma a consolidação do processo iniciado por ele na Pasta da Transparência, criada sob medida, no governo atual, para escarafunchar as mazelas do passado e dar clareza às ações do presente. Seus relatórios são o espelho, o qual Flávio Dino recorre para conhecer os detalhes da gestão.E também Lago é do “núcleo duro”ao qual o governador mantém para disparar munições de calibre mais pesado na hora em que a guerra endurecer mais contra os inimigos. Rodrigo tem pontaria aguçada.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias