PROJETO

Estudantes maranhenses desenvolvem embalagens biodegradáveis feitas do açaí

O fruto, típico da região, é responsável por grande parte das produções no Estado, que no ranking do IBGE encontra-se como terceiro maior produtor nacional de açaí .

Estudantes do Centro Educa Mais Professora Maria Pinho. (Foto: Divulgação)

Alunos do Centro Educa Mais Professora Maria Pinho, escola de tempo integral, criaram um projeto inovador e sustentável, por meio do desenvolvimento de embalagens biodegradáveis, feitas a partir da fibra do açaí.

O trabalho, realizado sob orientação da professora de matemática, Sandra Eloi, propõe a reutilização do caroço como matéria-prima, que representa cerca de 80% do fruto e que é descartado em larga escala pelos produtores e comerciantes. Graças à iniciativa e do seu potencial de impacto social e ambiental, a mentora foi classificada para a final do prêmio Educador Transformador, durante o Congresso Bett Brasil 2023.

Segundo Sandra, o “Inovaçaí” surgiu durante as aulas de matemática, quando os jovens foram desafiados a elaborar atividades de iniciação científica e práticas experimentais diversificadas que exercessem o protagonismo juvenil através da pesquisa e da investigação.

“Devido à abundância regional do açaí, os estudantes resolveram investigar uma maneira de aproveitar do caroço do fruto, visto o crescente descarte do mesmo na natureza. Entre as principais motivações estão: a preservação dos recursos naturais, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e o plano de ação global para proteger o planeta e promover sociedades pacíficas e inclusivas até 2030”, explica a professora.

Sustentabilidade e empreendedorismo no Ensino Médio Integral

Além de promover uma educação de qualidade, que foca no processo de aprendizagem centralizado nos estudantes, o Ensino Médio Integral também estimula o desenvolvimento de projetos e atividades que contribuem para a formação dos jovens e para a comunidade. Baseado nessa perspectiva e por meio do aprendizado na prática, tutoria, protagonismo juvenil e projeto de vida, o “Inovaçaí” busca não apenas ser uma iniciativa estudantil, mas também gerar benefícios econômicos e ambientais.

Ao sugerir a substituição de embalagens plásticas e de isopor, que levam cerca de 400 anos para se decompor na natureza, por embalagens biodegradáveis, a proposta dos estudantes fomenta práticas sustentáveis e de empreendedorismo.

Protagonismo juvenil e projeto de vida

Para os estudantes, a participação no “Inovaçaí” representou diversos benefícios para o desenvolvimento de habilidades importantes, como conta o aluno João Victor de Lima. “O projeto nos ensinou como trabalhar em equipe, falar em público e, principalmente, a ter mais autonomia, já que fomos nós, alunos, que desenvolvemos o trabalho, com o apoio da professora, além de como estudar e pesquisar da forma correta e a organizar melhor o tempo”, relata.

Outra fortaleza do projeto, segundo o estudante Jorge Leandro, foi incentivar o engajamento dos alunos de forma ativa, incluindo os jovens em todos os processos, desde as pesquisas até a criação manual das embalagens. “Eu trabalhava na parte de secagem dos grãos, pois antes de usá-los, nós os higienizamos e colocamos para secar. Também estive envolvido na trituração dos grãos e na preparação da apresentação do projeto”, conta.

Jorge ainda comenta como o modelo de ensino incentivou os seus planos para o futuro. “O Ensino Médio Integral teve um grande impacto no meu projeto de vida, pois participar dos projetos que foram desenvolvidos despertou em mim a vontade de seguir na área de ciências. Eu quero trabalhar na área laboratorial, atuando em pesquisas”, finaliza.

Metas futuras do projeto

Agora, em uma nova etapa, os estudantes buscam parceiros para poder investir e iniciar a produção em larga escala das embalagens, desenvolvendo um produto novo para o mercado nacional. Além disso, pretendem criar uma outra versão da embalagem que seja comestível.

O Ensino Médio Integral é uma proposta pedagógica multidimensional, moderna, nacional, pública e gratuita. A partir de um modelo de ensino que se conecta à realidade dos jovens e ao desenvolvimento de suas competências cognitivas e socioemocionais, propõe a formação integral dos estudantes. Trabalha com o projeto de vida, aprendizado na prática, tutoria, protagonismo juvenil, acolhimento, orientação de estudos e eletivas, que promovem a formação completa do estudante, junto aos componentes curriculares já previstos na BNCC. Está presente em cerca de 6 mil escolas em todo o país, beneficiando mais de 1 milhão de estudantes.

* Com informações da Assessoria

Quer receber as notícias da sua cidade, do Maranhão, Brasil e Mundo na palma da sua mão? Clique AQUI para acessar o Grupo de Notícias do O Imparcial e fique por dentro de tudo!

Siga nossas redes, comente e compartilhe nossos conteúdos:

VER COMENTÁRIOS
Polícia
Concursos e Emprego
Esportes
Entretenimento e Cultura
Saúde
Mais Notícias