BURAQUEIRA

Moradores do Calhau mobilizam protesto para denunciar ruas intrafegáveis

Para chamar a atenção das autoridades para o problema de mobilidade urbana, os residentes pretendem fazer uma barreira de veículos para impedir o tráfego.

Moradores seguem revoltados com falta de respostas das autoridades competentes. (Foto: Arquivo Pessoal)

Os moradores das ruas Tabatinga e Roraima, no bairro do Calhau, reclamam de um intenso trânsito provocado pelo estado deplorável das vias públicas do local.

Segundo os residentes das ruas, a situação teve um agravamento após a chegada da Superintendência da Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde naquela área.

A espaço afetado pelo engarrafamento de veículo fica na região atrás do Banco Bradesco (localizado da Av. dos Holandeses), e se encontra em uma situação complicada desde a mudança do órgão responsável pela distribuição de vacinas e transporte da Secretara de Saúde do estado, ainda na primeira gestão do governo Flavio Dino.

O local passou a trazer prejuízos e danos aos veículos de moradores do bairro do Calhau. (Foto: Arquivo Pessoal)

Devido à revolta dos habitantes, ficou decidido que haveria a realização de um protesto até o final deste mês, para serem ouvidos, os moradores irão bloquear o acesso à região, incluindo o acesso à Superintendência de Vigilância Sanitária.

O objetivo é chamar atenção para a região que está totalmente esburacada, sem condições de receber tráfego de veículos e responsável por causar insegurança para pessoas que moram na área.

Márcio Almeida, habitante do local, relata que, após a mudança do equipamento da Secretaria de Saúde para a rua Tabatinga, a tranquilidade antes existente no local acabou.

Logo, uma série de problemas estruturais como a falta de sinalização das vias, o disciplinamento de estacionamentos e a intensidade do transito fizeram surgir crateras ao longo das ruas, quebrando carros e causando prejuízos a todos que ali circulam.

Os demais vizinhos daquele espaço não divergem do sentimento de Marcos, o Professor Euclides Moreira Neto, por exemplo, contou que dezenas de vezes encontrou sua garagem ocupada por veículos de funcionários e frequentadores da Superintendência de Vigilância sanitária, obstruindo a entrada e saída de seu carro.

Debora Langof é outra residente inconformada, ela informou que frquentemente fica estressada com a situação atual e está disposta a radicalizar o protesto planejado pelos moradores das ruas Tabatinga e Roraima.

Segundo informações da senhora Iracema Bessa, como parte do protesto, os proprietários de veículos daquela área pretendem bloquear os acessos das vias usando os próprios veículos para formar uma barreira, o protesto continuará até que o poder público mobilize uma solução imediata.

Além disso, a moradora Francimar Almeida esclarece que os moradores já tentatam resolver o impasse várias vezes com a SMTT e SEMOSP da Prefeitura de São Luís, mas “só recebemos promessas de que providências seriam tomadas, mas até hoje nada foi feito”,conta Francimar. Ela ainda ressalta que a Prefeitura e Governo Estado estão em lados opostos, o que deixa a situação insustentável.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias