SÃO JOÃO DO MARANHÃO

Internos de penitenciárias fazem curso de matraca

A previsão é que cerca de três mil peças sejam produzidas para os festejos do São João do Maranhão.

A estimativa é de que sejam produzidas 3 mil matracas para o São João deste ano. (Foto: Divulgação)

Internos do sistema penitenciário do Maranhão estão inseridos em curso de produção de matracas para o período junino. A iniciativa do Governo do Estado, coordenada pela Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP), integra o programa Trabalho com Dignidade.

O programa agrega uma série de ações de ressocialização, oportunizando ao detento o cumprimento da pena aliado a um aprendizado. A previsão é que cerca de três mil peças sejam produzidas para os festejos do São João do Maranhão.

“Este curso é mais uma, entre tantas ações e esforços implementados pelo Governo do Estado, por meio da nossa secretaria, para a promoção destas políticas de ressocialização. São iniciativas que realmente vêm impactar e transformar a vida dos internos que cumprem pena no sistema penitenciário maranhense”, avaliou o titular da SEAP, Murilo Andrade.

A produção iniciou com 500 matracas, chegando a mil e, agora, com a perspectiva de serem produzidas três mil. Os itens serão parte doados a agentes da cultura e parte comercializados, sendo os recursos revertidos aos internos.

Matracas feitas por apenados. (Foto: Divulgação)

Participam do curso detentos que estão sob o regime semi-aberto, que permite o trabalho durante o dia e o retorno à unidade penitenciária durante a noite.

Com a oportunidade, os internos garantem redução da pena, conforme prevê a Lei de Execução Penal (LEP). O que é conseguido com a comercialização da produção é revertido para eles e seus familiares.

“A proposta em organizar essa oficina partiu do próprio secretário Murilo Andrade. Iniciamos com 50 itens, que foram aprovados e chegamos a enviar alguns para o governador Carlos Brandão. Todos gostaram e daí, começamos a promover o curso. É um trabalho que vai somar com os internos e ser um produto a mais para o São João”, explicou o instrutor de marcenaria, Davi de França.

Para os internos, uma oportunidade de aprender e um orgulho em fazer parte das festas de São João. “Para mim é um projeto bastante interessante, que me dá oportunidade de aprender uma nova profissão, ter contato com a marcenaria. A gente tem a parte prática e a teórica, então, é um curso muito rico. Eu tenho muito interesse em aprender e me especializar na área. A gente trabalha com bons materiais e essas matracas são de primeira qualidade. Me sinto bastante lisonjeado por fazer parte do São João e contribuir para que as pessoas tenham uma boa festa, pois, essas nossas matracas vão trazer alegria”, avaliou um integrante do curso.

O curso de matracas é realizado em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (Secma).

O sistema penitenciário do Maranhão ficou em primeiro lugar do Brasil, no quesito trabalho e educação de internos, de acordo com o  levantamento de Informações Penitenciárias do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), de dezembro do ano passado. Somam mais de 7,6 mil internos inseridos em atividades de trabalho internas ou externas, que representam 64,99% da população carcerária do estado.

São mais de 100 oficinas de trabalho, que geram profissionalização e renda, com 70 fábricas de blocos sextavados e a inserção de mais de mil internos. Ainda, 10 malharias, fábrica de estofados, reforma e produção de conjuntos de carteiras escolares, lavanderia, entre outras.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias