MARANHÃO

Greve dos rodoviários entra no terceiro dia na Região Metropolitana de São Luís

Está marcada também para este sábado, uma audiência de conciliação que vai ocorrer no Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão (TRT-MA)

(Foto: Patrick Ribeiro)

Sem acordo entre o Sindicato das Empresas de Transporte (SET) e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (Sttrema), a grave dos rodoviários chega ao terceiro dia, neste sábado (23) na Região Metropolitana de São Luís, que vai compreender as cidades de São Luís, Raposa, São José de Ribamar e Paço do Lumiar.

Leia também:

Durante primeira rodada de negociações entre o Sindicato das Empresas de Transportes (SET) e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (Sttrema), que é mediada pelo Ministério Público do Trabalho do Maranhão (MPT-MA), terminou no início da tarde da sexta-feira (22) sem nenhum acordo entre empresários e trabalhadores.

De acordo com o MPT-MA, na audiência, o Sindicato dos Rodoviários mostrou uma nova proposta, que deverá ser analisada pelo SET em assembleia geral. Desta forma, foi acertado que os empresários darão uma resposta aos rodoviários em uma audiência, que está marcada para as 18h deste sábado, na sede do Ministério Público do Trabalho.

Está marcada também para este sábado, uma audiência de conciliação que vai ocorrer no Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão (TRT-MA). A audiência está agendada para iniciar às 10h. De acordo com o Sindicato dos Rodoviários, o presidente da categoria, Marcelo Brito, e os diretores da entidade, estarão presentes nesta audiência.

Greve

Durante a madrugada da última quinta-feira (21), a paralisação dos rodoviários teve seu início com 100% da frota de ônibus sem circular na Grande São Luís.

A categoria afirma que os donos das empresas não estão cumprindo com uma Convenção Coletiva de Trabalho, onde prevê uma série de direitos aos motoristas, por parte das empresas de transporte.

Entre as reinvindicações dos rodoviários estão, 13% de reajuste salarial; jornada de trabalho de seis horas, tíquete de alimentação no valor de R$ 800; manutenção do plano de saúde e a inclusão de um dependente; a concessão do auxílio-creche, para trabalhadores com filhos pequenos.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias