População

Maranhão passa dos 7 milhões de habitantes

Esse resultado populacional é um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios

Foto: Reprodução

O Maranhão atingiu os 7.153.262 habitantes, de acordo com o relatório Estimativas da População – 2021, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Esse resultado populacional é um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e fundamental para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos.

De acordo com o IBGE, as populações dos municípios foram estimadas por procedimento matemático e são o resultado de parâmetros determinados, cuja fonte principal é o Censo Demográfico. O último ocorreu em 2010 e o próximo ocorrerá em 2022.

A pandemia da COVID-19 trouxe uma série de grandes desafios para a sociedade e as informações disponibilizadas pelo IBGE servem para subsidiar as decisões do poder público a partir desses dados estatísticos.

“Os números da pandemia certamente têm implicações na população. Dados preliminares do Registro Civil e do Ministério da Saúde apontam para um excesso de mortes e uma diminuição dos nascimentos além do esperado. Contudo, como a pandemia ainda está em curso e devido à ausência de novos dados a respeito da migração, que juntamente com a mortalidade e fecundidade constituem as chamadas componentes da dinâmica demográfica, ainda não foi elaborada uma Projeção da população para os Estados e Distrito Federal que incorpore os efeitos do contexto sanitário atual na população”, informou a nota da Supervisão de Disseminação de Informações do IBGE.

Segundo ainda informou o órgão, o próximo Censo Demográfico, que será realizado em 2022, trará não somente uma atualização dos contingentes populacionais, como também subsidiará as futuras projeções, fundamentais para compreender as implicações da pandemia sobre a população a curto, médio e longo prazo. O próximo Censo também atualizará o quantitativo populacional dos municípios, além de informações demográficas que possam traçar o futuro da população no país.

Quanto às estimativas municipais, os dados mostram que São Luís chegou a 1.115.932 habitantes. E a Região Metropolitana, composta por São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa, com 1.656.503 habitantes. No total, o Brasil tem população total de 213,3 milhões de habitantes, distribuídos pelos 5.570 municípios que compõem as 27 unidades da federação. ”Essas informações são importantes a partir do momento em  que precisam ser utilizadas para permear as políticas públicas, sejam elas macro ou micro e que vão determinar as estratégias de  desenvolvimento social, econômico, educacional, político, enfim…”, comentou a mestranda em cidades e desenvolvimento, Ana Lúcia Matos.

9% da população maranhense possui deficiência

Se somos 7.153.262 habitantes no Maranhão, 9% ou seja, 643.793 dessa população possui alguma deficiência. Esse percentual deixa o estado entre os dez do país com a proporção de pessoas com 2 anos ou mais de idade com deficiência. A proporção do Brasil é de 8,4%.  Os tipos de deficiência levantadas pela PNS 2019 (Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE) foram: visual; auditiva; motora de membros superiores ou inferiores; e mental ou intelectual. “Ao longo das últimas décadas, a produção de estatísticas de pessoas com deficiência tem sido cada vez mais demandada, tanto por órgãos de governo, quanto pela sociedade. O módulo pessoas com deficiência na PNS de 2019 foi aplicado para todos os moradores de 2 anos ou mais de idade e tem como objetivo principal gerar indicadores socioeconômicos, educacionais e de saúde de pessoas com deficiência. A identificação das pessoas com deficiência se deu a partir da mensuração do grau de dificuldade de algumas atividades que a pessoa possuía ao realizá-las, além de abordar o uso de aparelhos de auxílio e a forma de obtenção desses aparelhos”, diz a nota do IBGE.

“Ao longo das últimas décadas, a produção de estatísticas de pessoas com deficiência tem sido cada vez mais demandada”

De acordo com os dados, ao redor dos 40 anos de idade, há um aumento significativo no percentual de pessoas com deficiência, indicando os primeiros indícios do processo de envelhecimento e consequentemente uma perda em suas funções visuais, auditivas, motoras e intelectuais.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias