CORONAVÍRUS

No Maranhão

4824
117694
105671
2978
INFRAESTRUTURA

Obras de duplicação da BR-135 começam na próxima segunda-feira

As obras vão garantir melhores condições para escoamento de produção e segurança no trânsito

A BR-135/MA será duplicada do quilômetro 51 ao quilômetro 127, entre as cidades de Bacabeira e Miranda do Norte - Foto: Dnit

Após a autorização do início das obras de duplicação da BR-135 feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) no último dia 15, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) informou que as obras vão ser retomadas na próxima segunda-feira (3).

Nesta primeira fase, as obras serão executadas apenas em um subtrecho situado entre os municípios de Bacabeira e Santa Rita, o que equivale a 18 quilômetros de extensão (km 51 a 69).

Em nota, o DNIT informou que inicialmente estão previstos apenas serviços de pista. A previsão é concluir o cronograma de obras até o mês de dezembro deste ano, utilizando o investimento de R$ 80 milhões de reais, valor que consta no contrato da duplicação da BR.

As equipes de trabalho estão se mobilizando para fazer a roçagem, limpeza do local e reconhecimento do terreno para o preparo da chegada das máquinas e restante da equipe que dará continuidade a obra.

As obras de duplicação da BR 135 entre as cidades de Bacabeira e Miranda do Norte (km 51 ao km 127) tem o intuito trazer maior segurança no trânsito e minimizar o número de acidentes neste trecho que possui um alto volume de tráfego, proporcionando melhores condições para o transporte de serviços e produtos e também a diminuição do tempo de viagem.

Nesta sexta-feira (31) o Ministro e Estado da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, fará uma reunião por meio de vídeo conferência e deverá anunciar a data oficial do início das obras, além da assinatura da ordem de serviço da BR-135 e Travessia de Imperatriz.

“É fundamental o reinício da obra da BR-135, Maranhão, da duplicação do trecho de Bacabeira até Miranda do Norte. A BR-135, no final, é a única via de acesso à capital São Luís, e está sendo cada vez mais carregada em função do crescimento do agronegócio. Hoje, já temos milhões de toneladas de grãos que acessam o Porto de Itaqui, via 135”, disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes.

O órgão garantiu ainda que, durante as obras iniciais, os trabalhadores não terão contato com as comunidades quilombolas. “Todo o trabalho será feito com a participação da sociedade e com respeito à legislação ambiental e às comunidades envolvidas”, disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, em nota.

O DNIT informou ainda que assegura a adequada continuidade do licenciamento ambiental do empreendimento e que está licitando o refazimento dos estudos do componente quilombola (ECQ) do empreendimento, a partir da consolidação de novo Termo de Referência Específico, elaborado pela Fundação Cultural Palmares, que estabelece as condições e os objetivos dos trabalhos a serem desenvolvidos, de modo a subsidiar o licenciamento ambiental nas etapas de instalação e operação da rodovia.

Ao todo, nesta primeira etapa da obra, serão envolvidas dez comunidades quilombolas: Ilha das Pedras, Nossa Senhora da Conceição, São João II, Marengo, São José do Fogoso, Camerinha, Pedreiras, Centro dos Violas, Santana e Santa Rita do Vale.

Restauração entre Periz de Baixo e ponte da Estiva

Nesta segunda (27), o Ministro e Estado da Infraestrutura publicou em seu Twitter que a restauração avança no trecho entre Periz de Baixo (Bacabeira) e ponte da Estiva. As obras estão sendo realizadas pelo Exército Brasileiro em parceria com o DNIT.

VER COMENTÁRIOS
.
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias