CORONAVÍRUS

No Maranhão

3483
183461
175992
3978
VACINAÇÃO

Maranhão deve vacinar oito milhões de bovinos contra febre aftosa

As vacinas serão doadas às áreas indígenas e quilombolas e aos produtores em situação de vulnerabilidade

Foto: Divulgação

Oito milhões de bovinos e bubalinos devem ser vacinados no Maranhão, durante a campanha contra a febre aftosa. O número corresponde a 90% de cobertura vacinal a ser alcançada pelo Governo do Estado. A vacinação é coordenada pela Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA). Nesta campanha, o Governo adquiriu vacinas que serão doadas às áreas indígenas, quilombolas e produtores em situação de vulnerabilidade. A vacinação encerra dia 31 de julho.

A diretora geral da AGED/MA, Fabiola Ewerton, explicou que a campanha está sendo bem diferente, considerando o cenário de pandemia do novo coronavírus. “Essa campanha está sendo bastante desafiadora. Tivemos a alteração no período de vacina, inovando ao adotar a comprovação de forma virtual. Esperamos que, com o empenho de todos os envolvidos no processo, possamos alcançar os índices vacinais determinados pelo Ministério da Agricultura”, disse a gestora. Deve ser vacinado todo o rebanho e de todas as idades.

Áreas consideradas de vulnerabilidade – indígenas, quilombolas e produtores dos municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humanos (IDH) – receberam 2.366 frascos de vacina, o que equivale a 35.490 doses. “Essa é a terceira campanha em que o Estado participa adquirindo as vacinas com recursos próprios. As vacinas doadas vão auxiliar muito no atendimento às áreas mais vulneráveis e assim conseguiremos alcançar os índices”, afirmou Fabiola Ewerton. O trabalho nestas áreas é desenvolvido por técnicos das unidades regionais da AGED, que deslocam aos locais para a imunização dos rebanhos.

O alcance da meta da campanha levará o Estado a atingir o status de ‘zona livre de aftosa’. O site da AGED – www.aged.ma.gov.br – contém informações necessárias para que o produtor tenha acesso ao processo de comprovação da vacina e outras orientações. Este ano, a campanha, que era realizada sempre no mês de maio, foi adiada para junho, devido à pandemia do novo coronavírus. O prazo se aplica nos estados do Nordeste.

Comprovação

Após imunizar o rebanho, o produtor deve comprovar a vacinação. Para isso, pode encaminhar seus dados pessoais, quantidade e faixa etária dos bovinos e bubalinos vacinados e nota fiscal comprovando a compra da vacina, por e-mail ou agendando por telefone, onde recebe uma data para atendimento presencial no escritório da AGED em que a propriedade está cadastrada. A comprovação pode ser feita até 31 de agosto.

Na ocasião, o produtor pode comprovar também as vacinações contra raiva e brucelose.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Esportes
Polícia
Mais Notícias