CORONAVÍRUS

No Maranhão

868
53508
25120
1285
DOAÇÕES

Bancos de sangue e de leite se encontram em estado crítico no Maranhão

Estoques não suprem a demanda e hospitais e centros de coleta aguardam que mais voluntários se sensibilizem para doar durante a pandemia do novo coronavírus

Reprodução

Sangue e leite materno são dois componentes essenciais para a vida do ser humano. E para quem está em um leito de hospital, necessitando de um ou outro para viver, chega a ser desesperador saber que pode estar em falta. No Maranhão, os bancos de leite e os hemocentros operam em estado crítico, situação que se agravou ainda mais em função das medidas de distanciamento impostas pela pandemia do novo coronavírus.

No caso das doações de sangue, a necessidade diária para atender a demanda, segundo Ana Penha, Assistente Social do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão (Hemomar), é de 200 bolsas, mas atualmente, a média coletada é de 100, quando é um dia considerado positivo, uma queda de 50%. Para o Hemomar ter um estoque mínimo suficiente para atender por três dias, seriam necessárias 270 bolsas no estoque, sendo 243 positivas e 27 negativas. “O Hemomar trabalha convocando os doadores, mas de 10 que chamamos, apenas 2 ou 3 aparecem. As pessoas estão com medo de sair por conta da pandemia, e também tem muita gente doente, então o que podemos dizer é que estamos em estado crítico”, comenta Ana Penha.

Para o dia 4 de junho está prevista uma coleta externa na área do Mateus da Cohama, com o objetivo de aumentar as doações. “O Hemomar atende a todo o estado. Embora haja 7 hemonúcleos, eles também estão em situação crítica. Atendemos a pacientes  oncológicos, com doenças crônicas, pacientes com Covid-19, então a doação é importante para salvar vidas e na atual situação não estamos conseguindo atender a todos os pedidos”, avalia Ana Penha.

Por conta da pandemia, algumas medidas de segurança foram adotadas para garantir ainda mais a saúde dos doadores, como por exemplo, a distância entre as cadeiras de doação e as da recepção, respeitando o distanciamento mínimo de um metro e meio para evitar contato entre as pessoas. Também o cuidado com a assepsia está mais rigoroso e todos os materiais utilizados são descartáveis para evitar a contaminação.

Saiba mais – Dentre os critérios para doar sangue estão: Estar bem de saúde;  Pesar acima de 50 quilos; Estar bem alimentado no dia da doação; Não ingerir alimentos gordurosos nas horas que antecedem a doação; Não ingerir bebida alcoólica no dia anterior à doação; Estar acompanhado por um responsável legal, caso tenha 16 ou 17 anos; Levar documento oficial com foto.

Os interessados na coleta externa podem solicitar o agendamento para a Coordenação de Coleta Externa, por meio dos telefones  (98) 3216-1134 ou pelo WhatsApp (98) 9162-3334. Atualmente, o centro está funcionando de segunda a sexta-feira das 7h30 às 17h, e aos sábados das 7h30 às 12h. Além da unidade na Jordoa, os hemonúcleos estão situados nas cidades de Imperatriz, Balsas, Codó, Caxias, Santas Inês, Pinheiro e Pedreiras.

Volume de leite humano também é insuficiente

Nos bancos de leite humano a situação não é tão diferente quantos os centros de hematologia. No dia 19 de maio foi o dia nacional do leite humano, e em todo o Brasil está sendo um momento atípico. Por isso, o incentivo para novas doadoras.  Nos bancos de leite da capital foi preciso fazer uma adequação para que as doações não parassem.

A coordenadora do Banco de Leite Humano do Banco de Leite Humano do HU-UFMA, Feliciana Santos, comentou que “nunca estivemos numa situação tão desafiadora como esta que estamos vivendo, de recomendação de resguardo social. Mas não podemos desconsiderar aqueles que necessitam da nossa solidariedade, como os recém-nascidos, prematuros, internados na UTI, que fazem parte desse grupo de extrema vulnerabilidade e necessitam do leite para sua sobrevivência”.

O leite coletado é destinado para as crianças internadas no Serviço de Neonatologia, que conta hoje com 20 leitos (UTI Neo) e 22 leitos de Unidade Intermediária. São necessários, para atender a demanda da UTI neonatal do Materno Infantil, 5 litros de leite humano por dia, mas nem todo dia se consegue essa quantia. O dia de quarta-feira foi uma alegria por terem conseguido receber 7 litros apenas pela manhã. Há dias, por exemplo, que são recebidos 420ml. Mas toda gota importa. Cada pote de leite humano pode ajudar até 10 recém-nascidos.

Para ser doadora de leite não necessariamente a doadora precisa ir ao hospital. Segundo a enfermeira do Banco de Leite Humano do HU-UFMA, Liane Soares, a maioria das doadoras são de domicílio. “Nós vamos às casas delas buscar a coleta. O que mudou é que antes a gente entrava na casa da doadora, explicava o procedimento, fazia a coleta junto com ela, para não haver nenhum tipo de erro, para esse leite não ser contaminado, porque ele é de fácil contaminação. Hoje em dia a gente faz tudo por telefone e encaminha um vídeo autoexplicativo para ela fazer em casa, cumprindo todas as orientações de higiene sanitária que a gente já fazia mesmo antes da pandemia”, disse a enfermeira.

Uma vez por semana o hospital vai à casa da doadora para pegar o leite congelado. Segundo Liane, com esse procedimento acelerou o número de visitas de primeira vez de novas doadoras, pois a equipe não demora no domicílio, apenas o suficiente para entregar o material necessário para a coleta, que são os frascos esterilizados. “Por incrível que pareça até aumentou um pouco o volume de leite, acho que pelo fato das doadoras estarem mais tempo em casa, estão com mais tempo disponível para fazer essa doação que requer tempo”, afirmou Liane Soares.

Quando não há leite os pediatras entram com uma fórmula para alimentar os bebês. “Algumas mães também conseguem tirar o leite no momento da visita, porém outras não conseguem, por isso, é importante a doação do leite. A descida desse leite está muito relacionada a emoção da mãe, se aquela mãe não está relaxada, se não estiver em um ambiente satisfatório, ela não vai conseguir extrair aquele leite. E qual é a mãe que se sente satisfeita em ver seu bebê dentro de uma UTI?”, disse Liane Soares.

Além da doação do leite, a unidade também precisa de frasco de vidro, com tampa de plástico (estilo frasco de café solúvel). A entrega dos frascos pode ser feita no Banco de Leite do Materno Infantil (Avenida Silva Jardim, Centro). Condomínios e empresas que tenham uma quantidade considerável para doar, podem agendar o recolhimento. Informações pelo telefone 2109-1178.

Maternidade 

Para se ter ideia, em março havia 36 mães fazendo doação por meio da coleta externa, no mês de abril esse número chegou a 20 mães. O banco de leite funciona de 7h às 19h. Toda mulher que amamenta pode ser doadora. Basta ligar para o (98) 98844-8591 ou (98) 99613-7869.  A MACMA também necessita da doação de potes de vidro, nos tamanhos pequeno e médio, para o armazenamento do leite.

Os frascos são utilizados pelo Banco de Leite para coleta, pasteurização e distribuição de leite humano para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal. A entrega dos potes pode ser feita na MACMA ou através de agendamento por telefone. Os potes de vidro doados passam por processo de lavagem e esterilização na unidade. Após os procedimentos de higienização, os potes serão utilizados. 

O Banco de Leite da maternidade funciona na Avenida Jerônimo de Albuquerque, S/N – Cohab Anil I, em São Luís, de 7h às 19h, de segunda a sexta-feira. Para agendar entrega de frascos, basta ligar para (98) 98844-8591 ou (98) 99613-7869.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias