CORONAVÍRUS

No Maranhão

1040
1652
133
2
OBRAS

Flávio Dino assina ordens de serviço no Porto do Itaqui

Serão feitas obras de recuperação de berços e pavimentação asfáltica

Reprodução

Nesta terça-feira (28), durante reunião do Conselho Consultivo do Complexo Portuário e Industrial do Itaqui, no Salão de Atos do Palácio dos Leões, em São Luís, foram assinadas as ordens de serviços de duas obras de infraestrutura para o Porto do Itaqui – recuperação de berços e pavimentação asfáltica – que juntas somam R$ 59,1 milhões em recursos próprios da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP). A cerimônia foi presidida pelo governador Flávio Dino, que assinou os documentos junto com o presidente do Itaqui, Ted Lago, e representantes das empresas, Antônio de Pádua Castro Rodrigues Júnior (Edro Engenharia) e Fernando Antônio Leitão Cavalcante (Edeconsil Construções e Locações).

A obra de recuperação estrutural dos Berços 103 e 106 e recuperação catódica dos Berços 101 e 102, no valor de R$ 32,2 milhões, será realizada pela Edro Engenharia. Já a pavimentação asfáltica (CBUQ, de concreto estrutural com fibras metálicas e intertravado), abrangendo áreas no Porto do Itaqui, terminais externos e cais de São José de Ribamar, ao custo de R$ 26,8 milhões, será feita pela Edeconsil Construções e Locações.

“É importante destacar o dinamismo da EMAP, que neste momento difícil da conjuntura do país vem realizando obras de melhorias da infraestrutura de sua área de atuação, incluindo o Porto do Itaqui, e também gerando centenas de empregos”, afirmou o governador Flávio Dino.

Com a assinatura dessas ordens de serviço, a EMAP autoriza as empresas que venceram os processos licitatórios a iniciarem as respectivas obras. “A recuperação dos berços e a pavimentação são serviços necessários de manutenção e preparação do Porto do Itaqui para uma nova etapa de crescimento sinalizada pelos projetos de ampliação do Tegram, dos terminais de combustíveis e de fertilizantes, além da retomada da linha regular de contêineres”, disse Ted Lago.

Em sua segunda fase, o Tegram deve dobrar a capacidade de exportação para 14 milhões de toneladas/ano e, com a nova estrutura, a Ultracargo está aumentando a capacidade atual de armazenamento para 48 mil metros cúbicos na primeira fase, chegando a 100 mil metros cúbicos no médio prazo. Já o terminal da Companhia Operadora Portuária do Itaqui (COPI), que deve começar a operar até dezembro deste ano, estima movimentar 3,5 milhões de toneladas de fertilizante/ano, com logística integrada à malha ferroviária da Norte-Sul.

Neste ano também serão iniciadas as obras do terminal de celulose da Suzano, que prevê a geração de 450 empregos diretos.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias