Meio ambiente

Árvores constituem maior patrimônio ambiental

Nas cidades e centros urbanos as árvores desempenham um papel muito importante na melhoria da qualidade de vida da população e do meio ambiente

Reprodução

O quanto você reclama do calor em São Luís? Muito? Em outros tempos a temperatura era assim? “Com certeza não. Mas eram outros tempos mesmo e a gente precisa entender que o desenvolvimento às vezes gera isso. Com o crescimento das cidades alguma coisa vai ser sacrificada, e nesse caso, infelizmente é o meio ambiente, nossa arborização, nosso verde. Cabe aos gestores, com as políticas públicas. fazerem isso de forma ordenada, sem causar danos, nem impactos ambientais”, comenta o professor de Ciências, Alan Pereira.

Em artigo, o Engenheiro Agrônomo Ronan Pereira Machado disse que a maior e mais significativa importância das árvores é a ambiental, pois são organismos essenciais para o equilíbrio do planeta, desempenham funções vitais como o controle da temperatura, aumento da umidade do ar, maior controle das chuvas, qualidade da água dos mananciais, controle de erosão, manutenção da biodiversidade, além de produzirem frutos, sementes, madeira, resinas e outros produtos.

“A presença das árvores no meio urbano é muito recente, eram vistas apenas como elementos integrantes das florestas. No Brasil, a primeira cidade a dispor de arborização de rua foi Recife, no século XVII. Já nos séculos XVIII e XIX, na cidade do Rio de Janeiro iniciaram-se marcos fundamentais do paisagismo brasileiro como o Jardim botânico e o Campo de Santana. Em São Paulo, os destaques são Jardim da Luz e Avenida Paulista”, disse o engenheiro.

A arborização no meio urbano oferece duas principais vantagens ao homem, uma delas relacionada ao conforto térmico que ela produz. Também projeta projeta sombra e torna o passeio mais confortável, principalmente em cidades como a nossa em que o clima é quente e as áreas externas se tornam inviáveis durante certos horários.

A capital tem apenas 32.3% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização, segundo  dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ocupando a 172ª posição dentre os 217 municípios do estado. Se comparar com outros cidades do Brasil, fica na posição  4783 de 5570.

São Luís possui  três principais Parques Urbanos na cidade: O Parque do Bom Menino, no Centro: o Parque Ecológico Itapiracó, na Cohab; o Parque Botânico da Vale, no Complexo Industrial Portuário de Ponta da Madeira. A cidade vai ganhar ainda o Parque Estadual Sítio do Rangedor, que  será um complexo de esporte, lazer e de preservação dos recursos naturais,  que está sendo construído pelo governo do Estado.

No Centro de São Luís há um total de 17 praças localizadas em pontos distintos. Algumas delas foram reformadas, revitalizadas, porém na sua maioria, falta um uso funcional para que sejam aproveitadas melhor como espaços públicos, a exemplo da praça Benedito Leite, onde acontece a Feirinha São Luís.

Reprodução

Revitalização

A Prefeitura de São Luís vem fazendo um trabalho de intervenção nos principais logradouros públicos. A Praça Gonçalves Dias, também conhecida como  Largo dos Amores,  é um dos principais cartões postais de São Luís e passou recentemente por  intervenções para a revitalização total do aspecto. No espaço foram plantadas 60 mudas de palmeiras reais, 20 palmeiras imperiais, além de mudas de flores típicas da região, ao longo dos canteiros do largo. A ação imprimiu mais beleza ainda ao ambiente de um dos lugares mais aprazíveis do Centro Histórico.

A operação de plantio de novas mudas também foi realizada, pela Prefeitura de São Luís, em diversos outros espaços da capital, totalizando mais 200 novas árvores em áreas como o Rio Anil, Centro, Cohatrac, Forquilha, Cohab, Anjo da Guarda, Planalto Anil III, Cohama, entre outros.

Neste 5 de junho, dia mundial do Meio Ambiente, vários órgãos, instituições, associações estão com programação voltadas à temática. Dentre as várias ações, o assunto desta matéria, o plantio de mudas nativas, será pautado na Semana Municipal do Meio Ambiente, que vai até o dia 7 de junho, coordenada pela Secretaria municipal de Meio Ambiente.

A arborização urbana é um termo que vem sendo utilizado com muita frequência nos últimos tempos e que remete ao plantio de árvores no meio urbano. Nas cidades, as árvores desempenham um papel muito importante na melhoria da qualidade de vida da população e do meio ambiente.

Entre os benefícios estão: o  bem-estar psicológico, efeito estético, sombra para os pedestres e veículos, proteção contra o vento, diminuição da poluição sonora, redução do impacto da água de chuva, auxílio na diminuição da temperatura e preservação da fauna silvestre.

Desse modo, a  administração pública ainda tem um longo caminho a percorrer afim de tornar o ambiente das cidades ao mesmo tempo agradável e eficiente, respeitando tanto o homem como a natureza. Mas algo já está sendo feito.

De acordo com a Prefeitura de São Luís, a urbanização e arborização de praças, o plantio de novas mudas em canteiros centrais, rotatórias, escolas, espaços públicos e outros logradouros da cidade; a implantação de 12 Ecopontos para coleta seletiva de resíduos sólidos, reduzindo o acúmulo de lixões e o impacto ao meio ambiente local; o recolhimento regular de pneus velhos e outros materiais inservíveis e o fechamento do Aterro da Ribeira são algumas das ações executadas para um ambiente mais limpo e agradável na cidade.

Plantio de mudas

As atividades alusivas à Semana do Meio Ambiente encerram com a palestra A Importância da Preservação do Meio Ambiente, ministrada a alunos da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) São Raimundo, seguida de plantio de mudas nativas na área da escola, com a participação dos estudantes.

O plantio de novas mudas é uma realidade em diversos espaços públicos da cidade, como nas praças Deodoro, Panteon, Pedro II, Gonçalves Dias, do Pescador, dentre outras que ganharam novo aspecto urbanístico.

Segundo o presidente do Impur, Fábio Henrique Carvalho, só este ano foi realizado o plantio de aproximadamente 800 mudas, distribuídas em espaços como avenidas dos Holandeses, que ganhou mais de 100 mudas de diferentes espécies; Castelo Branco, Colares Moreira, entorno da Lagoa da Jansen e praças em bairros.

No complexo Deodoro, por exemplo, foi realizada uma grande operação de transplantio de árvores já na fase adulta para revitalizar o paisagismo do espaço. No local foram replantadas cerca de 30 árvores de médio porte com até seis metros e 18 palmeiras imperiais com até 10 metros. A Praça Dom Pedro II também passou por reestruturação urbanística e paisagística, com o plantio de palmeiras imperiais e espécies regionais que conferiram ao espaço um ambiente ainda melhor ao público.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias