Luto

Enterro de Bita do Barão comove a cidade de Codó

Velório do famoso babalorixá teve a presença de muitos admiradores e curiosos

Reprodução

Será neste sábado (20) o enterro do corpo do pai de santo Bita do Barão no cemitério central da cidade de Codó. O velório do líder espiritual da ‘Cidade de Deus’, onde segundo a federação dos umbandista existem mais de 300 terreiros de terecô, acontece desde quinta-feira (18) no Tenda rainha Iemanjá.

Na rua Rui Barbosa, no bairro Santa Filomena, era pequena a movimentação na manhã deste sábado de Aleluia. Pouco mais de 300 pessoas assinaram o livro de presença. Não há nomes de políticos ilustres na relação, mas as pessoas presentes comentam a presença da ex- governadora Roseana Sarney na noite de sexta-feira (19).

Entre a dúzia de coroa de flores em homenagem ao pai de santo Bita do Barão de Guaré está a da Família Sarney. O prefeito Zito Rolim enviou uma coroa em nome da família e da prefeitura. Entre os presentes, o comentário seria um encontro casual entre Rolim e o ex-prefeito Boné Figueiredo, adversários da política codoense. Bita se projetou nacionalmente como conselheiro espiritual de líderes políticos. O mais ilustre deles o ex-presidente José Sarney.

Na Tenda espírita Rainha Iemanjá deve acontecer ainda pela manhã deste sábado o Tambor de Choro, parte do ritual de despedida da umbanda. Na linha de sucessão,a filha Janaína Nonato é tida como provável continuadora dos trabalhos. Ela é mãe pequena, uma designação dada pelo mestre aquela que deve sucedê-lo. Mas será um conselho que decidirá o período de fechamento da tenda e aquele que sucederá o mestre no trono. Não há um ritual determinado sobre os rumos da tenda de umbanda, ficando a critério dos dirigentes.

Francisco  da Silva, funcionário da tenda espírita há 20 anos, estava contrito na noite de Sexta-feira Santa. ” Quem vai definir tudo é Janaína” , comunicava em voz baixa.

Cemitério

No cemitério central os coveiros e zeladores funcionários da prefeitura estavam desde as primeiras horas deste sábado (20) limpando o estreito corredor da entrada que dá acesso à sepultura. O túmulo em granito preto está pronto a tempos aguardando o corpo do Pai de Santo mais famoso do Brasil. Na vizinhança da carneira outros parentes de Bita do Barão foram enterrados. A mãe e uma filha natural que ninguém cometa ser do mestre e comendador da República. “Ele teve outra filha” , afirma Vandeilson da Silva Reis, vigia há sete anos no cemitério inaugurado em 1918. Nas ruas Presidente Costa e Silva e Miguel Bahury, que dão acesso ao cemitério, o movimento era de feriadão às primeiras horas da manhã. O enterro do filho mais ilustre da ” Cidade de Deus” está marcado para às 17 horas.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias