FEIRA

Primeira etapa do Hortomercado da Cidade Operária termina em julho

O novo mercado terá 97 boxes padronizados, bancada e balcões em granito e devem beneficiar os 118 feirantes que já atuam na região

Reprodução

Antes abandonado e insalubre, o Hortomercado da Cidade Operária serviu por décadas como lixão irregular e refúgio para usuários de drogas. Mas essa realidade está cada vez mais ligada ao passado do bairro.

As obras de reforma e ampliação da feira “seguem a todo o vapor”, segundo o arquiteto e gestor dos trabalhos, Zeca Carvalho. A primeira etapa do projeto feito pelo Governo do Maranhão tem previsão de entrega para julho deste ano.

Com a obra, 118 feirantes que já comercializam produtos na região serão beneficiados.

O novo Hortomercado da Cidade Operária terá boxes padronizados (todos com revestimento cerâmico para facilitar a limpeza), bancadas e balcões em granito, além de grades e portões feitos a base de metalon, metal produzido em aço carbono, resistente à corrosão, ações do tempo e produtos químicos.

Estrutura nova

A primeira etapa corresponde à ampliação de 1.632 metros quadrados do galpão lateral com a construção de 97 boxes. A área terá como finalidade a venda de carnes, peixes e aves, com espaço para o refrigerador de exposição, freezer e pia. Também no galpão. Nessa área também será construído um ambiente para lanchonete com 21 boxes, dois quiosques e 12 mesas.

Ainda de acordo com Zeca Carvalho, a primeira etapa da obra de reforma e ampliação prevê sete boxes exclusivos para os chamados ‘balanceiros’, que são revendedores de peixes no atacado.

Orçado em R$ 7,1 milhões, o projeto foi elaborado seguindo as normas exigidas pela Vigilância Sanitária, como o descarte seletivo de lixo. A feira terá dois novos banheiros, além de rampas para garantir a acessibilidade.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias