MURO DO CT TRICOLOR

Torcedor ou facção? Muro do Sampaio é pichado com ameaça a jogadores

Na madrugada de ontem, os muros do Centro de Treinamento José Carlos Macieira amanheceram pichados com ameaças.

Reprodução

A péssima campanha que faz o Sampaio Corrêa na Copa do Nordeste e no Campeonato Estadual, continua repercutindo negativamente junto à torcida tricolor. Na madrugada de ontem, os muros do Centro de Treinamento José Carlos Macieira amanheceram pichados com ameaças atribuídas ao grupo “Bonde dos 40”, uma facção criminosa que age há vários anos em nossa cidade, e não perdoa quando se sente contrariada.

Usando tinta preta e letras bem grandes, os autores da ameaça escreveram: “Se perder pro Morto Clube, jogador vai morrer. Ass. B.40. Acabou a paz”, numa alusão a uma possível derrota no próximo sábado para o velho rival, Moto Club. Veja no vídeo a pichação na íntegra:

Segundo o Assessor de Comunicação do Sampaio Corrêa, Vinícius Bogéa, os jogadores que compareceram ao CT José Carlos Macieira para os treinamentos, não levaram a sério as ameaças. “Ninguém nem comentou sobre este assunto. Os jogadores ignoraram totalmente e não fizeram qualquer comentário. A comissão técnica também não deu atenção à pichação”, completou, atribuindo  o ato como vandalismo de torcedores fanáticos insatisfeitos com os últimos resultados na Copa do Nordeste.

Interrogado sobre a reação do presidente do Sampaio Corrêa, Sérgio Frota, Vinícius disse que o dirigente sabe que nenhum boliviano está satisfeito com os resultados, mas essas pichações não têm nada a ver com ameaças da facção criminosa. “O presidente já autorizou a limpeza”, resumiu. Os jogadores do Sampaio Corrêa se reapresentaram na manhã de ontem, no CT José Carlos Macieira. O desejo de todos é vencer a partida do próximo sábado, contra o Moto Club, e dar a volta por cima após o revés na Copa do Nordeste, como apontou o capitão Dedé: “Estamos todos incomodados com a situação. Precisamos dar uma resposta rápida dentro de campo, e nada como um clássico para tentar vencer e voltar a confiança”, declarou o volante boliviano ao site oficial.

Eloir ensossa as palavras do companheiro, e espera uma apresentação diferente na próxima partida: “É difícil falar, mas precisamos nos unir para afastar de vez essa desconfiança. O clássico é um jogo diferente, e temos que usar todas essas forças para buscar essa vitória”, frisou.

A programação da manhã foi dedicada aos trabalhos regenerativos e intensificação da parte física. No período da tarde, o técnico Flávio Araújo comandou uma atividade com bola para começar a definir a equipe titular.
Depois de ter sofrido uma nova lesão muscular no jogo do último domingo, contra o Moto, o zagueiro Paulo Sérgio deverá ficar pelo menos mais um mês fora de combate. Foi o que informou o departamento médico. O jogador está com um estiramento de grau dois. A diretoria tricolor já estuda a contratação de mais um zagueiro.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS