ESTRUTURA

Conheça as diversas obras em andamento nos bairros de São Luís

São construções e reformas de avenidas, pontes, parques e prédios em várias regiões da cidade ao longo de 2019

Obra em Av. Litorânea facilitará trânsito e contará com bares padronizados. (Foto: Karlos Geromy)

A capital do Maranhão tem um ano promissor pela frente no quesito infraestrutura. Logo no começo de 2019, São Luís já conta com dez grandes obras em andamento em diversos bairros e regiões da ilha – dentre elas, construções e reformas de avenidas, parques e prédios.

No Turu, a obra do Hospital da Ilha está em fase de terraplanagem, fundações e estruturações em concreto armado. A unidade vai iniciar com 212 leitos e, em uma segunda etapa, vai totalizar aproximados 400 leitos de internação e Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Serão 32 mil metros quadrados, com seis blocos, incluindo emergência, UTIs e Internação. No bloco de expansão, estão previstos mais três pavimentos de internação do tipo enfermaria, com mais 180 leitos.

Com o objetivo de não deixar Socorrões sobrecarregados, o novo hospital vai dar prioridade ao atendimento na capital, Raposa, São José de Ribamar e Paço do Lumiar.

A obra está orçada em R$ 132 milhões e tem prazo de execução de 32 meses.

Na Litorânea, haverá o prolongamento da avenida principal para a instalação do BRT (Transporte Rápido por Ônibus). Está na etapa de demolição e limpeza do leito da nova via, além da construção de muro de contenção no trecho de quase 2 mil metros na extensão.

Obra de prolongamento da Litorânea é a primeira etapa para implantação do BRT. (Foto: Jardel Scot)

O novo transporte deverá ir da altura do Rio Pimenta até a Avenida São Carlos, entre a Avenida Litorânea e a Praia do Olho D’água. O tempo de viagens diárias do transporte público intermunicipal diminuirá cerca de 40 minutos.

Além disso, o projeto inclui urbanização, paisagismo, ciclovias, calçadas, estacionamentos e áreas para caminhada em uma extensão de 20km.

O investimento chega a R$ 140 milhões e deverá ficar pronto até o final de 2020.

No São Francisco, serão construídas praças, quadras e uma avenida, que ligará o bairro a vias vizinhas. O projeto inclui também obras de abastecimento de água, saneamento básico e melhoria da iluminação pública.

Ilustração de como deverá ficar o novo Aterro do São Francisco (Foto: Divulgação/Secap)

O aterro será construído nas áreas sujeitas a alagamentos causados pelo fluxo das marés e haverá ainda a construção de equipamentos públicos de apoio à pesca e lazer, em conformidade com seus respectivos projetos urbanísticos e complementares.

Está prevista também a criação de estacionamentos, rampas de acesso pesqueiro ao Rio Anil e Bacia de São Marcos, além de galpão de apoio a comunidade pesqueira ali existente e localizadas ao longo da Avenida Ferreira Goulart.

Os antigos moradores das palafitas também serão contemplados com as melhorias do bairro. Atualmente, eles recebem o aluguel social no valor de R$ 500 para pagar a estadia provisória. E em breve serão contemplados com parte das 256 unidades do Residencial José Chagas, unidades do Minha Casa Minha Vida construídas pelo Governo do Estado na Avenida Ferreira Gullar.

Os investimentos chegam a R$ 7,6 milhões.

Na avenida Jerônimo de Albuquerque, será construída mais uma via no sentido Cohab-Angelim, em trecho de 500 metros de extensão e 12 metros de largura – para diminuir engarrafamentos.

As obras incluem alças semelhantes às já existentes na área entre o elevado da Cohama e a entrada do Bequimão, além de serviços de terraplanagem, drenagem, pavimentação, construção de meio-fio e sarjeta.

Os serviços têm previsão de entrega em 90 dias.

O Parque do Rangedor é outro espaço público que será entregue futuramente. A área da reserva que sofria com desmatamentos será transformada em um parque com pistas para caminhada, ciclovias de 3.500 metros e locais para práticas esportivas. O parque será entregue em etapas.

Projeto do Rangedor. Foto: Divulgação

A entrega da primeira etapa do parque está prevista para o aniversário de São Luís, em setembro.

A unidade do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) também está sendo reformada. A piscina está sendo reformada. As áreas de lazer, aumentadas. E uma nova biblioteca está sendo construída, bem como auditório e salas.

A obra está orçada em R$ 2 milhões e tem previsão de entrega para o primeiro semestre de 2019.

Os Residenciais José Chagas e Jomar Moraes contam com0 1.360 apartamentos em fase de conclusão pelo Minha Casa Meu Maranhão. 256 famílias que moravam em palafitas no São Francisco serão abrigadas. Já no Jomar Morais, nas imediações do Sítio Piranhenga, 1.104 unidades abrigarão quem também vivia em condições precárias na Liberdade, Camboa e entorno da Avenida Jackson Lago.

A Ponte do Pátio Norte é uma obra que está sendo feita para ligar o Maiobão e o Cohatrac, na Grande Ilha, e vai diminuir de 6 quilômetros para 220 metros o trajeto entre dois bairros vizinhos e que interligam mais de 200 mil pessoas que moram na região. A ponte tem 220 metros de extensão.

A antiga sede da Rede Ferroviária Federal (RFFSA), na Avenida Beira-Mar, em São Luís, está sendo revitalizada. O prédio histórico vai funcionar como espaço tecnológico e cultural com museu ferroviário, exposição de quadros, de pintura, de arte contemporânea e espaço destinado à gastronomia maranhense.

A primeira fase do Hospital do Servidor foi entregue e está funcionando, em São Luís. Para o primeiro semestre de 2019, é prevista a inauguração da segunda etapa, com atendimento odontológico e outros serviços.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS