CONSUMIDOR

Vestuário teve alta de preço na capital

Habitação foi o segundo grupo que teve maior impactação de elevação de preço, seguido do grupo alimentação e bebidas, de acordo com dados do IBGE

Imagem Pixabay

Dentre os nove grupos de itens pesquisados no Sistema Nacional de índices de Preço ao Consumidor (SNIPC), vestuário foi o grupo de despesa que acusou maior elevação na variação de preços no mês de dezembro, +1,20%. No acumulado do ano (maio a dezembro), esse grupo em São Luís teve a maior alta de preços: 6,84%, segundo o Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) e o Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC), publicado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística no último dia 10.

O segundo grupo de despesa no mês de dezembro que apresentou maior taxa percentual de elevação de preços foi habitação, +1,12%, revertendo uma variação negativa de preço detectada no mês anterior. Depois, a maior variação de preços foi detectada no grupo alimentação e bebidas, 0,56%, seguido do grupo Saúde e Cuidados Pessoais, 0,34%. Dois grupos de despesa apresentaram variação negativa de preços, a saber, transporte, -1,15%, e artigos de residência, -0,4%.

Dentre todas as 16 regiões pesquisadas, o índice nacional de preços ao consumidor amplo (IPCA) calculado pelo IBGE em São Luís ficou na 8ª posição no mês de dezembro de 2018.

No grupo vestuário, os subitens joias, +5,14%, calça comprida feminina, +3,43%, calça comprida masculina, +2,91%, e bijuteria, 2,91%, tiveram maior variação positiva de preço. No grupo habitação, os subitens que apresentaram maior variação positiva, foram gás de botijão, +4,57%, cimento, +3,24%, material hidráulico, +2,31%, e tijolo, +1,78%. O gás de botijão foi, dentre todos os subitens que compõem a cesta de bens e serviços consumidos em São Luís e para os quais há acompanhamento de preços para efeito de estimativa de IPCA, aquele que teve maior impacto no IPCA de dezembro: 0,0929.

A deflação detectada no grupo transporte se deu muito em função do comportamento dos preços dos combustíveis, como gasolina, – 4,82%, óleo diesel, -3,68%, e etanol, – 1,55%. Também tiveram retração de preços, os subitens passagem de ônibus interestadual, – 4,01%, e lubrificação e lavagem, -3,74%. A tabela a seguir apresenta o IPCA para cada um dos 9 grupos de despesa em São Luís, nos meses de novembro e dezembro de 2018.

Observando o IPCA pelo prisma dos impactos de cada grupo de despesa na formatação do IPCA de dezembro em São Luís, o grupo habitação teve maior impactação, 0,16 ponto percentual (p.p.), seguido do grupo alimentação e bebidas, 0,15 p.p.

Esclarece-se que o grupo de alimentação e bebidas teve peso de 27,1% nas despesas das famílias no mês de dezembro, o que explica o fato de mesmo tendo índice de preço menor, teve impacto praticamente igual ao grupo habitação, que teve um índice de preço bem mais elevado.

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980 e se refere às famílias com rendimento monetário de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte. Para cálculo do índice do mês de dezembro, foram comparados os preços coletados no período de 29 de novembro a 28 de dezembro de 2018  com os preços vigentes de 27 de outubro a 28 de novembro de 2018 (base).

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS