AVANÇOS

Itaqui firma parceria com Canal do Panamá

O documento foi assinado em solenidade realizada no Panamá, pelo presidente da Emap Ted Lago, e pelo administrador da Autoridade Portuária do Canal do Panamá, Jorge L. Quijano.

Foto: Divulgação

A autoridade portuária do Porto do Itaqui e a administração do Canal do Panamá formalizaram na quarta, 5, uma aliança de colaboração com o objetivo de fomentar o uso do canal por navios com destino ou origem no Ita qui, bem como promover parcerias em áreas técnicas. O documento foi assinado em solenidade realizada no Panamá, pelo presidente da Emap – Empresa Maranhense de Administração Portuária, Ted Lago, e pelo administrador da Autoridade Portuária do Canal do Panamá, Jorge L. Quijano.

A programação no Panamá incluiu visita às novas comportas (Cocolí Locks) e apresentações sobre meio ambiente, conservação de água, reflorestamento e conservação de bacia hidrográfica do Canal e sobre os diferenciais competitivos do Porto do Itaqui. “Este convênio é muito importante por viabilizar a movimentação de grãos para a Ásia através do Canal, proporcionando ainda mais competitividade ao Itaqui e já contemplando o crescimento da movimentação de grãos pelo Arco Norte”, afirmou Ted Lago.

De toda a soja escoada pelo Porto do Itaqui, 80% tem como destino a Ásia. Neste ano o Itaqui tem batido sucessivos recordes em movimentação mensal de grãos. De janeiro a outubro foram escoadas pelo porto público maranhense mais de 8 milhões de toneladas de soja. A marca representa um aumento de quase 40% em relação ao volume movimentado em todo o ano de 2017.

Com a segunda fase do Tegram a perspectiva para os próximos anos é de aumento de capacidade e movimentação de grãos. “Esse acordo irá fortalecer toda a logística do Arco Norte, que hoje é responsável por mais de 21% de toda a soja e o milho exportados pelo Brasil”, analisa o presidente da Emap. A localização do Porto do Itaqui é estratégica por sua proximidade com os mercados internacionais – é o primeiro porto de entrada e o último por to de saída para os merca dos asiáticos (encurta viagem em cerca de sete dias no comparativo com os portos das regiões Sul e Sudes te do Brasil).

Com essas vantagens e a aliança de cooperação com a autoridade portuária do Canal, o Itaqui poderá ter acesso a novos mercados, em especial mercados de commodities da costa Á oeste da América e Ásia. Existe também um potencial para o Itaqui no futuro se transformar em um hubport de contêineres. Para atender a essa demanda foi entregue em 2017 a infraestrutura necessária para armazenagem de contêineres e cargas gerais.

O investimento de R$ 9.199.220,08 contempla a construção de um pátio em uma área de 20.250 m², equipada com tomadas, visando atender a demanda de contêineres refrigerados. Paralelamente o Governo do Estado vem trabalhan do no adensamento de cadeias produtivas, de modo a viabilizar a movimentação de contêineres. A aliança estabelecida é destinada a promover as remessas de grãos na rota comercial do norte do Brasil para destinos em países localizados no Pacífico.

As duas partes se comprometem a atuar de forma cooperativa para melhorar o serviço de transporte em suas áreas de influência e promover o crescimento do comércio global. O escopo da aliança abrange atividades comerciais conjuntas, intercâmbio de informação, estudo de mercado e modernização.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias