SÃO LUÍS

Oficinas são oferecidas de forma gratuita na Semana do Japão no Maranhão

Evento acontece na rua Rio Branco, no Centro de São Luís. Veja programação

Quem passava pela rua Rio Branco, no centro de São Luís, na manhã desta sexta-feira, 09, pode ouvir o som impactante que o Taiko produz. Para quem não conhece, ele é um instrumento de percussão tradicional na cultura japonesa, tocado com a mão ou com a baqueta e que está sendo ensinado em uma das oficinas no CEMP-MA, durante a Semana do Japão no Maranhão.

“Ouvi as batidas de longe e entrei para saber o que era. Fiquei encantada com as oficinas, porque já estudo há algum tempo a cultura japonesa”, contou Dona Antônia, que aguardava ônibus em uma das paradas da rua Rio Branco.

Veja Também

A Semana do Japão no Maranhão foi aberta na noite de quinta-feira, 08, com a presença do Cônsul do Japão em Belém. Na ocasião, foram apresentadas as bolsas de estudo oferecida pelo Governo Japonês para estudantes maranhenses.

OFICINAS

Toda a programação é oferecida de forma gratuita. O universitário, Ângelo Gonzaga, 22 anos, já toca o Taiko há cinco anos, mas não perdeu a oportunidade de adquirir novos conhecimentos. “Essa é a segunda edição que participo. Mesmo já tendo uma base, hoje aprendi muito. Volto para casa com mais bagagem para compartilhar com meu grupo de percussão”, disse.

Ângelo Gonzaga (de azul) aprendeu mais um pouco sobre o taiko

Um dos instrutores é Adilson Cruz, que veio de Belém para ministrar a oficina. Há dez anos ele toca o instrumento e participa de apresentações folclóricas. Ele faz parte do Grupo KODON Amazon Taiko, da Associação Pan-Amazônia Nipo-Brasileira. “Comecei tocando como os meninos, em uma oficina. Gostei tanto que nunca mais deixei”, contou.

Quem também está à frente de uma oficina é a aposentada Eiko Ito, 75 anos. Ela ensina danças folclóricas japonesas e tem a maior paciência com quem arrisca aprender os passos. Também moradora de Belém, Eiko mora no Brasil há 50 anos.

Na sala bem em frente, está Miriam Kawauka, ensinando Origami (dobradura de papel) e Ikebana, que são arranjos naturais que tem como filosofia levar a natureza para dentro de casa. Filha de professora de Ikebana, Miriam conta que a arte faz parte de seu dia a dia. “É mais do que um arranjo de flores. Aqui você precisa harmonizar as flores, galhos e vasos, na busca de um equilíbrio”, explica.

Entre as oficinas mais procuras está, sem dúvidas, a de Mangá, os famosos gibis japoneses. Por lá, os apaixonados pelos quadrinhos podem expandir o conhecimento e de, quebra, conferir uma exposição com vários Mangás.

A Semana do Japão no Maranhão vai até este sábado, 10, com as oficinas acontecendo entre das 9h às 12h. Ainda nesta sexta, a partir das 16h, terá apresentação de dança e Taiko na praça Benedito Leite. Tudo de graça!

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS