AÇÃO POLICIAL

Advogados que intermediaram propina à Bardal são presos

A ação policial é decorrente de uma investigação do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) órgão do Ministério Público e também da SECCOR. 

Foto: Reprodução

Foram presos na operação simultânea realizada em São Luís e Imperatriz os advogados Werther Ferraz Júnior e Ary Cortez Prado. Também foram presos na capital o investigador João Batista de Sousa e o ex-superintendente estadual de  investigações criminais (Seic) Thiago Bardal. Os mandados de prisão preventiva foram expedidos pela 1º vara criminal de São Luís.

A ação policial é decorrente de uma investigação do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) órgão do Ministério Público e também da SECCOR.

Segundo informações da polícia, os presos recebiam propina de assaltos a banco para não efetuarem a prisão dos chefes das quadrilhas. Os advogados intermediavam o pagamento, em torno de R$ 100 mil por assalto.

Entenda o caso

O delegado Thiago Bardal foi preso mais uma vez. Desta vez, o delegado afastado, foi preso por suposto envolvimento com uma quadrilha especializada em assaltos a bancos na região Tocantina, no Maranhão.

Foram cumpridos mandados de prisão preventiva contra o delegado afastado e um investigado em São Luís. Também foram presos mais dois advogados suspeitos de envolvimento no esquema, na cidade de Imperatriz. As investigações dão conta para o recebimento de propina de quadrilhas que assaltavam bancos no Estado.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS