FESTAS JUNINAS

Começa a temporada de ensaios para o São João na Ilha

Boi Valente da Ilha já se prepara para a temporada de São João com ensaios, seleção de dançarinos, novas composições de toadas e gravação de disco

Mal terminou o período de carnaval na Ilha, as matracas e pandeirões já ecoaram na cidade na quarta-feira de cinzas, com o Boi de Cinzas, na Madre Deus, e neste domingo, 18, os clarins darão seu recado com o primeiro ensaio do grupo de orquestra Bumba meu boi Valente da Ilha, na Casa da Família no Ipem-São Cristóvão (ao lado do Comando da Polícia Militar), a partir das 16h.

Esta será a quinta temporada do boi e terá como tema as manifestações populares do estado, a exemplo do tambor de crioula, dança portuguesa, festa do Divino Espírito Santo e cacuriá, representadas pelos seus integrantes por meio das cores, ritmos e indumentárias.

“Estamos chegando com o tema: Valente de Todos os Ritmos e Cores, homenageando essas manifestações, e com um boi muito mais colorido e com cores vibrantes”, conta Arialdo Mendes, presidente do grupo. Em anos anteriores, o grupo, que estreou em 2014, já adotou temas falando sobre o próprio boi; fez uma homenagem ao irmão Alberto Moraes (Bebé), músico, compositor e criador da logomarca do boi; e agora vem falando de alguns dos ritmos da cultura maranhense.

Amanhã, o boi vai apresentar seis toadas novas, além de uma nova coreógrafa que irá comandar os passos dos integrantes para as apresentações. Além disso, fará uma seleção com índias, índios, vaqueiros de fitas e campeadores. “Precisamos apresentar as novas músicas, por isso estamos começando este ano mais cedo, mas será uma coisa bem informal, para apresentação da nova coreografia, dos ritmos que iremos apresentar nesta temporada. Após a seleção, faremos esse primeiro ensaio para matarmos a saudade dos festejos juninos, que está grande”, diz Arialdo.

Os compositores do grupo são Dudu, Paulo César, Arialdo, Roberto Lobato. No dia do batizado do grupo, em junho, deverá ser feito o lançamento do CD 2018.

Os ensaios acontecerão todos os sábados e domingos no mesmo local até as vésperas do batizado, em data ainda a ser marcada.

Para este ano, o grupo pretende levar pelo menos 100 integrantes para os arraiais, entre índios e índias, vaqueiros, orquestra, Pai Francisco e Catirina, cantores. Como todo ano, o boi se renova, dado o grande fluxo de pessoas nessas manifestações. Outra novidade para esta temporada é a inserção de mais um boi no quadro. Até o ano passado, era somente um.

Apresentação

Uma vez no palco ou espaço em que será feita a apresentação, o grupo pretende mostrar que bumba meu boi de orquestra tem liberdade para inserir outros ritmos. Assim é que a dança portuguesa, o Divino, o cacuriá e o tambor de crioula serão representados pelos brincantes em formas de cores e indumentárias. Por exemplo, quem representar o Divino irá com as cores vermelha, dourada e prateada.

O início

O Boi Valente da Ilha nasceu no dia 31 de agosto de 2013, idealizado por Arialdo Mendes, Leonardo Rodrigues e tantos outros apaixonados pelo bumba meu boi.

Segundo Arialdo Mendes, que sempre foi envolvido com cultura popular, particularmente o bumba meu boi, a formação do grupo se deu porque a filha dele, Paula Moraes, já era índia de um outro boi desde 2010. Ele sempre a acompanhava nas apresentações, mas com a saída do grupo que ela integrava algumas pessoas o incentivaram a formar um boi próprio. Foi aí que ele uniu o útil ao agradável. Logo de início, o boi já contava com 24 integrantes entre vaqueiros campeadores, índias, músicos e cantor. Atualmente, o Boi Valente da Ilha possui 100 integrantes entre corpo de baile e orquestra. Além da beleza, as indumentárias do batalhão trazem a força que justifica o nome. “É preciso ser valente para montar e manter um grupo de bumba meu boi”, afirma Arialdo.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS