Caso Nenzin

Caso Nenzin: investigações apontam mais um envolvido na morte do ex-prefeito

A prisão foi novamente requerida pela Polícia ao Poder Judiciário pelo surgimento de novas provas no curso de investigações complementares no caso da morte do ex-prefeito Nenzin

Reprodução

A Polícia Civil deu cumprimento de mandado de Prisão Temporária nesta terça-feira,30, em desfavor de Luzivan Rodrigues da Conceição Nunes, conhecido como Luizão, vaqueiro do ex-prefeito Nenzim, execultado a tiros em dezembro de 2017.

A prisão foi novamente requerida pela Polícia ao Poder Judiciário pelo surgimento de novas provas no curso de investigações complementares no caso da morte do ex-prefeito, que agora apontam que o ex- vaqueiro da vítima mentiu para a polícia quando disse que não esteve no município de Barra do Corda na manhã do crime.

Segundo testemunhas ouvidas nas investigações complementares, “Luizão” não só esteve nesta cidade minutos antes do crime como também foi visto conversando com Mariano Filho, o “Júnior Nenzin”. A polícia acredita na hipótese que Luizão tenha agido em coautoria com o filho no assassinato do ex-prefeito.

A Polícia aguarda a conclusão dos últimos laudos perícias e outras testemunhas para poder fazer a reconstituição do crime e fechamento dos Autos Complementares do inquérito policial.

Entenda o caso

O ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim, foi assassinado  na manhã do dia 06 de dezembro de 2017. Ele estava se dirigindo à sua fazenda, na zona rural da cidade, quando foi alvejado por tiros.

O crime ocorreu por volta de 8h30, na cidade de Barra do Corda. Nenzin estava acompanhado do filho Mariano Júnior e dois homens se aproximaram em uma moto efetuando os disparos. Um dos tiros acertou o pescoço do ex-prefeito, que imediatamente perdeu a consciência. Ele foi encaminhado à UPA da cidade e, por conta da gravidade do caso, foi transferido para um hospital em Presidente Dutra, mas não resistiu aos ferimentos.

MOSTRAR MAIS