HISTÓRIA

Pedra da Memória: um monumento desconhecido por muitos

Homenagem à coroação do Imperador Dom Pedro II, Pedra da Memória foi mudada de lugar aos 100 anos e hoje é desconhecida por maioria da população

Um monumento é uma estrutura construída para homenagear um personagem ou retomar um acontecimento histórico, e embelezar a arquitetura de uma cidade. Em São Luís, esta herança cultural está presente em diversas construções, como as fontes do Ribeirão e das Pedras, as ruínas do Sítio do Físico e as antigas fábricas Cânhamo e Santa Amélia.
Na região do Cais da Sagração, próximo ao Palácio dos Leões, uma edificação se destaca das demais. Localizada em um enclave na Avenida Senador Vitorino Freire, a Pedra da Memória é um obelisco construído em cantaria no ano de 1841, para homenagear a maioridade (e posterior sagração) do Imperador Dom Pedro II, ocorrida em 18 de julho daquele ano.

“No Maranhão, a chegada da notícia sobre a coroação do Imperador gerou três dias de festejos e comemorações, dias 14, 15 e 16 de setembro de 1841, principalmente em São Luís”, Euges Silva de Lima, professor e presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (IHGM)

O objeto de ponta piramidal outrora se destacava no Campo do Ourique – região que atualmente envolve o território localizado entre a Escola Liceu Maranhense e a Biblioteca Benedito Leite. A mudança de sede ocorreu em 1943, em virtude de reformas urbanas no local. Joaquim Vieira da Luz (escritor) liderou um movimento para preservar o monumento, que culminou com a transferência da modelagem para o local atual local.

Pedra da Memória
Monumento desconhecido
Hoje, apesar de ter passado por limpeza e recuperação, o monumento é desconhecido da maior parte da população de São Luís. Na página de O Imparcial (clique aqui) na rede social Facebook, perguntamos aos nossos seguidores e a maior parte das respostas era imprecisa.
Homenagem e festa
Pedra da Memória

A construção da Pedra da Memória tomou quase três anos. Projetada em agosto de 1841 pelo tenente-coronel José Joaquim Rodrigues Lopes (do Imperial Corpo de Engenheiros), foi concluída apenas em 28 de julho de 1844, quando o presidente da Província do Maranhão em exercício, João José de Moura Magalhães, a inaugurou.

Segundo pesquisa do professor Euges Silva de Lima, presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (IHGM) para o biênio 2014/2016, “no Maranhão, a chegada da notícia sobre a coroação do Imperador gerou três dias de festejos e comemorações, dias 14, 15 e 16 de setembro de 1841, principalmente em São Luís. Verdadeira festa cívica, comandada pelo presidente da província, João Antônio de Miranda, culminando com a criação de orfanato, lançamento de obras públicas e monumentos”.
As notícias da época revelam o clima de euforia com a sagração do novo Imperador é evidente. Na primeira página do Jornal Maranhense de número 27, o fato é noticiado com destaque pelo presidente provincial: “Na tarde do dia 15 houve nova e magnífica parada no campo de Ourique, para onde ainda concorrerão as pessoas mais gradas da capital, e immenso povo, ahi tive a honra ainda de lançar a pedra fundamental para uma Pyramide, que a corporação Militar inaugurou à Sagração de S. M. o Imperador”. (JORNAL MARANHENSE, anno I, n. 27, 1841, p. 1)

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS