SÃO PEDRO

Fiscalização nas embarcações será intensificada no fim de semana

As embarcações que vão participar da procissão marítima de São Pedro na próxima segunda-feira, dia 29, terão fiscalização intensificada

Capitania dos Portos do Maranhão reforça fiscalizações de embarcações no período de festas juninas

A Capitania dos Portos no Maranhão vai intensificar as fiscalizações nas embarcações que vão participar da procissão marítima de São Pedro realizada na próxima segunda-feira, dia 29. O principal objetivo é garantir a segurança das pessoas que participarão do evento católico. Por isso, a Marinha vai fazer um trabalho de orientação e acompanhar a navegação dos tripulantes.

De acordo com capitão da marinha, Marcos Tadashi, durante a fiscalização é observado se há colete salva-vidas para a tripulação, se a embarcação é registrada, se o condutor é habilitado, se há excesso de passageiro, orientação para não ingerir bebida alcoólica, além de orientar que a embarcação tenha uma distância de 20 metros.
A procissão marítima este ano ocorre no período da tarde às 16 h e sairá do Cais da Praia Grande

A procissão marítima este ano ocorre no período da tarde às 16 horas, que sairá do Cais da Praia Grande, e em seguida é realizada a procissão terrestre que sai da Praia Grande até a capela de São Pedro, na Madre Deus, onde encerra às 19h30 com uma missa campal em frente a capela. O tema este ano é “Pedro, pedra edificadora da igreja de Cristo”, a organização do evento espera para esta edição 10 mil de fieis.

A homenagem ao santo é tradição em São Luís, segundo a comunidade se mantém há mais de 80 anos, uma forma de contar quem foi São Pedro, “São Pedro foi pescador, um homem simples, humilde, que se transformou no missionário de Cristo”, ressaltou a coordenadora do Conselho Comunitário da Igreja de São Pedro, Regina Soeiro.
História
Segundo a comunidade da Madre Deus, o festejo na Capela de São Pedro teve início há mais de 80 anos. O festejo teria se originado no Desterro, em 1939, indo para a Madre Deus em 1940, onde havia mais pescadores, cujo padroeiro é o santo. Na época, a capela era de taipa e coberta com palha. Apenas em 1949 foi erguida a de alvenaria, com o apoio do político e industrial Cesar Aboud, dono da Fábrica Santa Isabel, de tecelagem.
Em 1945, o comunitário João Fonseca criou a comissão organizadora. Assim, a festa ganhou leilão de prendas, procissões terrestre e marítima, além da louvação de bumba-bois. Naquela época, só os bois de zabumba, como os de Mizico, Medonho e Lorentino, parabenizavam São Pedro. Depois, os de matraca passaram a participar do encontro, que atualmente reúne grupos de todos os sotaques. Em 1949, houve a inauguração do templo, com apoio da Colônia de Pescadores Z-1, da Madre Deus. A capela foi reformada por mais três vezes, duas delas pela Prefeitura de São Luís, em 1973 e 1995.
 
Internauta você pode compartilhar pelo Whatsapp no número (98) 9 9188 8267, informações, denúncias e sugestões para o portal O Imparcial
VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias