SAÚDE

Protesto: Indígenas fecham rodovia federal no Maranhão

Mais de 100 indígenas interditaram a BR no interior do estado. A mesma manifestação está acontecendo em todo o Brasil contra a medida do Ministério da Saúde que pode comprometer o atendimento médico às comunidades

Indígenas fecham BR no interior do estado. Foto: PRF/Divulgação

O km 250 da BR 316, no município de Bom Jardim, interior do Maranhão, está fechado devido a um protesto organizado por indígenas na manhã desta quarta-feira (27). A mobilização faz parte do movimento nacional contra a municipalização da saúde indígena, contrário à Medida Provisória proposta pelo Ministério da Saúde.

Segundo informações do 7º Batalhão da Polícia Militar, são mais de 100 manifestantes fechando a estrada federal. Uma testemunha que viajava de Santa Inês em direção a Bom Jardim afirma que os indígenas estão armados com arcos e flechas e usaram troncos para travar a via.

Atualmente, o atendimento médico destinado aos povos indígenas é regido pelo Subsistema de Atenção à Saúde Indígena, mantido com recursos da União. Com a mudança, a responsabilidade sobre a saúde destas comunidades passa para o município. O objetivo do protesto é que o Governo Bolsonaro ouça o lado dos povos indígenas antes de tomar a decisão.

A comunidade é contrária à medida do Ministério da Saúde. Foto: PRF/Divulgação

Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que as mudanças propostas à Atenção à Saúde Indígena desenvolvidas pela Secretaria Especial de Saúde indígena (SESAI) ainda estão em processo de discussão e que, apesar dos protestos, “não haverá descontinuidade das ações”.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) está acompanhando o caso mais de perto, por se tratar de uma BR e de assuntos do Governo Federal. O ofício encaminhado por um dos caciques da região informa que a manifestação não tem hora para terminar.

Protestos por todo o Brasil

A manifestação indígena que está ocorrendo no Maranhão faz parte de uma mobilização nacional contra a medida do Governo. Na manhã desta quarta, comunidades de vários estados do Brasil aderiram ao protesto contestando o Ministério da Saúde.

“Indígena quer ter direito a saúde, e os trabalhadores querem proporcionar isso. Eu sou contra a municipalização da saúde, pois não há prefeito algum em todo o estado que tenha ido a uma tribo ver a realidade. A Sesai nos conhece e possui ações coordenadas para nosso atendimento. Queremos ela fortalecida”, afirmou o líder indígena ianomâmi, Davi Kopenawa, durante a mesma manifestação na Roraima, na última terça-feira (26).

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias