50º ano do AI-5

Ex-ministros de Sarney a Dilma assinam manifesto pela democracia no 50º ano do AI-5

Em defesa da pluralidade e da diversidade cultural, de crenças e de comportamento da sociedade brasileira, intelectuais assinam manifesto “Em Defesa da Democracia”

Ex-ministros de todos os governos democráticos, de José Sarney a Dilma Rousseff, assinaram um manifesto em defesa da democracia para lembrar os 50 anos da edição do Ato Institucional nº 5. Haverá um ato público na capital de São Paulo nesta quinta-feira (13), data que marca a publicação do decreto, para divulgar o documento.

Empresários, lideranças populares, intelectuais e artistas também endossam o manifesto, que afirma que o AI-5 “marcou o estabelecimento de um regime de terror de Estado”.

Outro ponto destacado é “a importância da manutenção dos princípios consagrados na Constituição de 1988: a República, a Democracia e o Estado de Direito”. O documento prossegue ressaltando que “a garantia das liberdades, dos direitos humanos individuais e sociais, do livre exercício da cidadania nos une, para além de eventuais diferenças e nuances ideológicas ou político-partidárias”.

Entre os ex-ministros que assinam o documento, estão nomes como Luiz Carlos Bresser-Pereira e João Sayad, que atuaram no governo Sarney. Artistas como Chico Buarque, Caetano Veloso, Laerte, Gilberto Gil, Wagner Moura, o fotógrafo Sebastião Salgado, e os escritores Raduan Nassar, Marcelo Rubens Paiva e Milton Hatoum também se destacam.

Clique aqui para assinar o documento.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS