Interação

Engajamento de Bolsonaro cai no Facebook

Entre 11 e 17 de outubro, o engajamento registra queda de 34%, chegando a 8,78 milhões de comentários, compartilhamentos e reações

Candidatos à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

O professor afirmou que os sistemas desenvolvidos pelo grupo “são inovadores, e ajudam a entender o fenômeno de desinformação que está ocorrendo no momento eleitoral”. O secretário-geral da Presidência do TSE, Estêvão Waterloo, afirmou que a Corte estuda firmar uma parceria com a universidade já para o segundo turno das eleições, e também para pleitos futuros.

Flávio e Dilma

Uma das situações envolvendo o WhatsApp e as eleições  veio com o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). No início do dia, ele afirmou que a conta pessoal dele no aplicativo havia sido bloqueada, mas explicou o caso mais tarde. O parlamentar negou ainda relação com as empresas responsáveis por disparos de mensagens em massa. “Meu telefone, cujo WhatsApp foi bloqueado, é pessoal e nada tem a ver com uso por empresas. O próprio WhatsApp informou que o bloqueio foi há dias, antes da ‘Fake News da Foice de SP’. Agora já foi desbloqueado, mas ainda sem explicação clara sobre o porquê da censura”, escreveu o senador eleito, na conta pessoal do Twitter dele.

Flávio Bolsonaro teve conta banida

Procurado, o WhatsApp confirmou que a conta de Flávio foi banida por comportamento de spam, mas afirmou que isso ocorreu há alguns dias. “Não está relacionado às denúncias de sexta-feira”, adiantou a empresa, se referindo à matéria da Folha de S. Paulo sobre a candidatura de Jair Bolsonaro.

Outra conta “pública” que foi banida por spam durante o período eleitoral foi o “Dilmazap”, da campanha da ex-presidente, informou a empresa, em nota.

Engajamento de Bolsonaro cai e Haddad aumenta

Movimentações o Facebook

No Facebook, rede social mais usada no Brasil, a Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV) destacou a confirmação da tendência de aproximação entre os volumes de interação dos presidenciáveis Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, verificada na última semana. Entre 11 e 17 de outubro, “na página do candidato do PSL, o engajamento registra queda de 34%, chegando a 8,78 milhões de comentários, compartilhamentos e reações.

Em movimento contrário, Haddad teve engajamento 20% superior, com um total de 5,65 milhões de interações”.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS