DOMINGO

Marcha pró-Bolsonaro leva centenas à Av. Litorânea

Um chamado em contraponto do “Ele Não”, o “Ele Sim” aconteceu na Avenida Litorânea como um ato de apoio à candidatura de Jair Bolsonaro

Camisas e bandeiras do Brasil durante caminhada a favor de Jair Bolsonaro, na Avenida Litorânea, em São Luís.

O domingo foi o dia do contraponto da manifestação “Ele Não”, que aconteceu ontem no Centro Histórico de São Luís. Organizado pelo Partido Social Liberal (PSL), partido de Bolsonaro e pela União da Direita Maranhense, o movimento levou famílias inteiras para declarar apoio ao nome de Jair Messias Bolsonaro (PSL) para a eleição que acontece próximo domingo, 07 de outubro.

“Mito”, “Eu vim de graça”, “O Capitão voltou”, “A bandeira do Brasil jamais será vermelha” eram alguns dos bordões ecoados pelos participantes da caminhada que teve início próximo da Praça do Pescador e terminou na escadaria do Ipem (Casa das Dunas) com discursos, fotos e vídeos oficiais, além de pedidos de votos para Jair Bolsonaro e Maura Jorge. A propósito, a candidata ao governo do Maranhão, Maura Jorge, esteve durante toda a caminhada e aproveitou para divulgar seu nome com distribuição de adesivos em que aparece ao lado de Bolsonaro.

“Nós sabemos que esse é o momento que a nossa nação precisa de mudança, a nossa nação precisa resgatar a nossa dignidade que foi roubada com essa corja do PT que se implantou em nossa nação”, é o que diz a Dra Gardênia, responsável pelo chamado das mulheres que apoiam o candidato do PSL a dizer ‘Ele Sim’. Ela agradece ao partido PSL, as famílias presentes e clama a favor de Bolsonaro. “É um clamor de toda nação. Deus levantou o candidato para trazer de volta a dignidade de nossa família, o respeito às nossas crianças, o respeito ao nosso jovem”.

O empresário Renato Costa, acredita que o voto no Bolsonaro representa uma luta contra a corrupção. “Estamos com Bolsonaro, zero corrupção, por um Brasil melhor, um cara justo, um cara de família”, defende o empresário.

Depois de um final de semana de manifestações a favor e contra o nome de Bolsonaro, a polarização deve continuar nas redes sociais até o dia das eleições e se estender em um provável segundo turno.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS