Fernando Haddad: “Peça o que você quiser [Dino], que você vai ter [com Lula presidente]; ele acha que você está fazendo um governo brilhante” (Foto: Karlos Geromy/O Imparcial)

O candidato a vice-presidente pelo Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, chegou nesta sexta-feira, 24, em São Luís do Maranhão, onde encerra o primeiro giro pelo Nordeste levando o nome de Lula e as propostas da coligação aos eleitores.

Esperavam por ele Flávio Dino e Manuela D’ávila, que já estava em São Luis, e que invariavelmente vai assumir o cargo de vice na chapa, seja com Lula, ou com o próprio Haddad, caso o ex-presidente seja mantido em cárcere em Curitiba e proibido de concorrer.

Visivelmente cansado pelas viagens, porém, muito motivado por estar na região, o ex-ministro da Educação falou com a imprensa antes de ser recebido por uma militância efusiva. “Primeiro um recado do presidente Lula ao governador Flávio Dino, ‘peça a carta que você quiser, o que você quiser, que você vai ter [com Lula presidente]; ele acha que você está fazendo um governo brilhante e tem o desejo de governar o país com você governador, porque aí as forças vão poder se somar’, e ele está muito feliz com o que está acontecendo no Maranhão com o governador Flávio Dino”, disse.

Confiante na vitória, o atual governador do Maranhão lembrou que o estado foi beneficiado pelas ações do presidente Lula. “(Essas ações foram) inclusive liderada pelo então ministro Haddad. A área da educação é a marca do nosso governo, como o programa escola digna. Nós também nos inspiramos nos institutos federais para fazer os estaduais IEMA (Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão), que tem a mesma lógica, planta e projeto pedagógico. Então é uma complementação de ações. E nós vamos ganhar no primeiro turno no Maranhão e no Brasil”, afirmou Dino.

Haddad aproveitou para responder parte da imprensa paulista, que disse que o ex-ministro da educação é um desconhecido no Nordeste. “A questão não é essa, é defender um projeto, Lula encarna esse projeto. Nós temos um conjunto de governos estaduais na região que são a expressão dessa novidade: depois de 500 anos o nordeste nasceu para o Brasil. O Nordeste tem o que temer (nessa eleição), porque tem o que perder, já que essa região sempre foi descuidada pelos governos anteriores ao Lula, e depois que foi cuidado por alguns anos percebeu seu potencial e não vai mais abrir mão dele…”.

Manuela aproveitou para complementar a palavra do ex-prefeito de São Paulo. “São 28 institutos federais de ensino técnico só aqui no Maranhão, então quem tem que se preocupar (em ser conhecido no nordeste) é quem não fez nada pelo Brasil e pelos estados, o Haddad como ex-ministro já fez muito”.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO