FRENTE PARTIDÁRIA

Partidos se unem no Maranhão em defesa de Lula

Os diretórios estaduais do PT, do PCdoB, do PDT e do PSOL anunciaram uma frente partidária contra a prisão do ex-presidente Lula

Reprodução

Uma frente partidária com único propósito: defender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foi com este objetivo que os diretórios estaduais do PT, do PCdoB, do PDT e do PSOL se reuniram ontem, na sede do Partido dos Trabalhadores, para anunciar que estas legendas são contra a prisão de Lula, determinada no fim da tarde de quinta-feira, 5, pelo juiz Sérgio Moro.

A coletiva dos partidos defensores de Lula contou com a participação dos presidentes estaduais das legendas. O discurso adotado na entrevista coletiva por eles foi o de unidade, independentemente que partidos como o PCdoB e PDT tenham pré-candidatos a presidente.

Para os dirigentes dos partidos da esquerda, Lula não deve ser preso e, consequentemente, disputar a eleição presidencial de outubro para dar legitimidade ao pleito. Tanto o PT, quanto PCdoB, PDT e PSOL, defendem que o mandado de prisão foi arbitrário e representou um ato político.

“Estamos juntos para manifestar ao povo maranhense a nossa imensa contrariedade, indignação com essa prisão ilegal e arbitrária do presidente Lula. Queremos conclamar o povo para resistir a isso. A democracia brasileira está sendo agredida violentamente. É preciso que cada cidadão saiba que não o presidente Lula que está em questão. A agressão ao presidente Lula é uma agressão a todo brasileiro, é uma agressão à democracia brasileira. É fazer com que se torne natural que uma pessoa seja acusada, julgada e condenada sem provas. Isso é inaceitável, é um absurdo e razão pela qual todos nós resistiremos”, afirmou Márcio Jerry, presidente estadual do PCdoB.

O deputado federal Weverton Rocha (PDT), que também é líder da Minoria na Câmara Federal e presidente estadual do PDT, disse ter convicção de que a esquerda deve seguir lutando unida por ideias de desenvolvimento com justiça social.

“Temos que denunciar para a comunidade internacional o momento difícil que o Brasil está vivendo. Instituições começaram a perder seu foco real. Combater corrupção é papel de todos. Mas combater ideologia não pode ser papel de juiz e promotor. Ali foi um processo que tem lado. Os processos contra o Lula foram em tempo recorde, enquanto os processos contra o Aécio, contra o Temer, que tem escuta, que tem mala de dinheiro, toda uma quadrilha comandada pelo Michel Temer estão aí. É a tentativa clara de tirar o presidente Lula da eleição”, afirmou o presidente do PDT.

Questionamento

O presidente estadual do PCdoB, Márcio Jerry, ainda questionou muito a legalidade da decisão de prisão de Lula. “Vejam que o juiz Sérgio Moro atropelou o próprio Supremo. É uma sequência de arbitrariedades, de atropelo ao devido processo legal e é inaceitável para o presidente Lula e para todos os brasileiros. Vamos continuar lutando, firmes na resistência. O que está em jogo é a desconstrução com uma violência muito grande à democracia brasileira. Vivemos o mesmo tempo sombrio de 1964. Naquele tempo pelas armas e agora pela instituição do Judiciário. Tirando direitos, condenações sem provas, mudando o rito político”, disse..

Questionado sobre o futuro eleitoral nacional de PT, PCdoB e PDT com Lula fora da eleição e cada um com seu pré-candidato a presidente, Márcio disse que inicialmente devem apenas se manter unidos na repulsa à normalidade democrática. Para ele, só depois de exaurido o debate sobre a prisão de Lula se debaterá o caminho eleitoral, mas cada um segue com seu pré-candidato à presidência.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS