PRÉ-CAMPANHA

Flávio Dino articula mudanças em secretariado

O governador anuncia que novos secretários ficarão no lugar dos atuais nesse período pré-eleitoral; Mudanças devem ser oficializadas até o fim de março

Palácio dos Leões. (Foto: Reprodução)

O governador Flávio Dino (PCdoB) tem demonstrado não ter pressa para definir os substitutos dos seus atuais secretários estaduais. Sempre que é questionado sobre o assunto, como aconteceu na semana passada, em Imperatriz, Dino responde apenas que as mudanças estão prestes a ser formalizadas. Na semana passada, o governador disse, inclusive, que as trocas seriam oficializadas em até 20 dias, o que corresponde com o fim de março.

“Estamos na reta final das transições. Mais uns 15, 20 dias nós vamos anunciar os novos secretários que ficarão no lugar dos atuais nesse período pré-eleitoral”, disse o governador.

Se mantiver o discurso adotado nos últimos meses, Flávio Dino deverá fazer substituições simples no seu secretariado, valorizando os atuais subsecretários e secretários adjuntos. Pelo menos essa é a expectativa, principalmente após entrevista do secretário de Comunicação e Assuntos Políticos, Márcio Jerry, ao jornal O Imparcial, em fevereiro. “Há uma ideia de dar continuidade nas pastas, de implantar soluções ‘domésticas’”, disse Jerry à época.

Mas quem são os adjuntos que podem vir a ocupar o cargo principal nas secretarias e órgãos estaduais? Essa é uma dúvida que continua nos bastidores do Palácio dos Leões. O Imparcial fez um levantamento dos possíveis adjuntos que podem ganhar espaço dentro do governo com a saída de secretários e presidentes de órgãos, que disputarão as eleições de outubro.

Troca-troca

De acordo primeiras informações conseguidas com exclusividade pela reportagem de O Imparcial, pelo menos sete secretários e três presidentes de órgãos estaduais devem deixar o governo para concorrer nas eleições deste ano. A lista dos “secretários pré-candidatos” é encabeçada por Márcio Jerry, secretário de Comunicação e Articulação Política (Secap). Com a saída de Jerry, que será candidato a deputado federal, a titularidade na Secap deve ficar com Daniel Merli, subscretário na pasta.

Do secretariado atual, outros dois gestores dão como certa a participação do pleito para a Câmara Federal. São eles: Simplício Araújo (Indústria, Comércio e Energia – Seinc) e Julião Amin (Trabalho e Economia Solidária – Setres), que deverão dar lugar para os adjuntos Expedito Junior e Sílvio Conceição Pinheiro, respectivamente.

Para a disputa por um lugar na Assembleia Legislativa, pelo menos quatro secretários do governo do estado vão tentar a sorte nas urnas em outubro. Deputado estadual licenciado e titular da Secretaria do Desenvolvimento Social (Sedes), Neto Evangelista buscará sua reeleição. Em seu lugar, o subsecretário Francisco Oliveira Júnior tem boas condições de assumir a Sedes.

Quem também vai estar na disputa para voltar à Assembleia é o ex-deputado estadual Marcelo Tavares, que já foi, inclusive, presidente da Casa. Experiente, o chefe da Casa Civil do governo tem boas chances de ser eleito. Nos bastidores, comenta-se que sua intenção é ser eleito novamente presidente do parlamento estadual. Essa possibilidade seria vista com bons olhos pelo Palácio dos Leões. Ao deixar a Casa Civil, Tavares poderá ser substituído pelo adjunto Aberlado Teixeira Balluz.

Outros dois secretários estaduais que vão tentar ocupar uma das 42 cadeiras da Assembleia Legislativa pela primeira vez são Márcio Honaiser (Agricultura, Pecuária e Pesca – Sagrima) e Adelmo Soares (Agricultura Familiar – SAF). O primeiro deverá ser substituído por Edjahilson Souza. Já na SAF, Luciene Dias Figueiredo e Chico Sales estariam na disputa pelo cargo de Adelmo Soares.

Mais mudanças vão ocorrer no secretariado do governo; veja quem sai e quem deve entrar

Além dos sete secretários estaduais que já comunicaram que irão concorrer às eleições deste ano, o governador Flávio Dino já sabe que deverá se preocupar com a substituição de gestores em pelo menos três órgãos estaduais: Agência Metropolitana (Agem), Comissão Central de Licitação (CCL) e o Procon.

Os presidentes destes três órgãos serão candidatos em 2018. Presidente da Agem, o vereador licenciado Pedro Lucas Fernandes estará na briga pela Câmara Federal, substituindo o próprio pai, deputado Pedro Fernandes. O diretor de Projetos da Agem, Lívio Corrêa, tem boas chances de virar o presidente do órgão.

O presidente do Procon, Duarte Júnior, também estará na eleição, só que concorrerá a deputado estadual. Quem pode aparecer no lugar de Duarte é Karen Barros, que hoje é a segunda no comando do Procon.

Haverá, ainda, um terceiro presidente de órgão estadual que já manifestou interesse em participar do pleito para deputado. Trata-se de Odair José Santos, presidente da CCL, mas a reportagem não conseguiu informações sobre seu possível substituto.

Durante o fim de semana, mais uma mudança à vista para o governador Flávio Dino fazer. Esta última seria no Comando da Polícia Militar, já que o coronel Frederico Pereira deixará o cargo para concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa. Em seu lugar, a tendência é que assuma o vice-comandante, coronel Luongo Ribeiro.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS