TRÁFICO DE INFLUÊNCIA

Pastor maranhense é preso pela Polícia Federal

A PF investiga participação de pastores e ex-ministro por tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos do Ministério da Educação.

Gilmar Santos é suspeito de ter sido favorecido pelo ex-ministro Milton Ribeiro, na liberação de recursos do Ministério. (Foto: Divulgação)

Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta (22), operação policial “Acesso Pago”, destinada a investigar a prática de tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, vinculado ao Ministério da Educação.

Nesta ação foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e 5 prisões nos estados de Goiás, São Paulo, Pará, além do Distrito Federal. Outras medidas cautelares diversas, como proibição de contatos entre os investigados e envolvidos, também foram efetuadas.

O ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro foi preso, sendo que além dele o pastor Gilmar Santos, que é maranhense, mas está há vários anos no estado de Goiás, local onde foi preso.

Gilmar é suspeito de ter sido favorecido pelo ex-ministro Milton Ribeiro, na liberação de recursos do Ministério, assim como também suspeita de cobrança de propina.

Além de Gilmar Santos, foram presos o pastor Arilton Moura, o ex-ministro Milton Ribeiro, assim como outras duas pessoas não identificadas.

Investigação

Com base em documentos, depoimentos e Relatório Final da Investigação Preliminar Sumária da Controladoria-Geral da União, reunidos em inquérito policial, foram identificados possíveis indícios de prática criminosa para a liberação das verbas públicas.

As ordens judiciais foram emitidas pela 15ª Vara Federal Criminal da Seção Judiciária do Distrito Federal, após declínio de competência à Primeira Instância. A investigação corre sob sigilo.

O crime de tráfico de influência tem pena prevista de 2 a 5 anos de reclusão. São investigados também fatos tipificados como crime de corrupção passiva (2 a 12 anos de reclusão), prevaricação (3 meses a 1 ano de detenção) e advocacia administrativa (1 a 3 meses).

Quem é Gilmar Santos

Gilmar dos Santos, nasceu em São Luís, capital do Maranhão, e é líder do Ministério Cristo para Todos, um ramo da Assembleia de Deus, com sede em Goiânia. O ministro Ribeiro já pregou no templo, durante culto denominado Ceia Geral A igreja dele é de pequeno porte se comparada a outros braços da Assembleia de Deus com atuação nacional.

Além de Goiás, está presente em estados como Maranhão, Mato Grosso, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Gilmar dos Santos diz ter mais de 40 anos como pastor. Santos também é presidente da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros de Assembleias de Deus no Brasil Cristo para Todos.

Santos se notabilizou no meio evangélico como um pregador conhecido por frequentar diversas igrejas, para além do meio “assembleiano”. Apesar da amizade pública e do acesso diferenciado ao ministro Milton Ribeiro, o vínculo deles com o governo Bolsonaro é anterior à chegada de Ribeiro à Esplanada dos Ministérios.

Quem abriu as portas do governo a ele e seu braço direito, Arilton Moura -também investigado na operação-, foi o deputado João Campos (Republicanos-GO), pastor da Assembleia de Deus Ministério Vila Nova, ligado à convenção de Madureira, conforme informações de integrantes da bancada evangélica.

O pregador das multidões

Em um culto para 80 mil pessoas em São Luís do Maranhão nos anos 1990, quase 1 mil pessoas teriam se convertido à religião evangélica na mesma noite, segundo a biografia. Em um áudio de uma pregação antiga, ele é apresentado como “o pregador das multidões”.

Ainda em relação às curas, durante a pregação, alguns fiéis teriam “vomitado cânceres e obras de feitiçaria”. Até a roupa do pastor teria sido alvo dos vômitos, de acordo com a biografia.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias