INTERIOR DO ESTADO

Policiais civis são presos por corrupção, desvio de dinheiro e extorsão no Maranhão

Segundo a SECCOR, os agentes recebiam propina para liberar pessoas que haviam cometido delitos, extorquiam funcionários da delegacia e envolviam adolescentes nos crimes

Na última terça-feira (2), na cidade de Grajaú, no Maranhão, dois investigadores da Polícia Civil foram presos por corrupção passiva, desvio de dinheiro, extorsão e corrupção de menor. Na quarta (3), outro delegado também foi afastado por possível envolvimento nos crimes.

Os investigadores Sandra Helena Alencar Pinheiro e Carlos Sergio Nunes Silva, além do delegado Kairo Clay Mesquita, faziam parte do grupo de policiais que estava sendo investigado desde janeiro de 2018 pela Superintendência de Combate à Corrupção (SECCOR). Foram comprovados nove casos de corrupção passiva, um caso de desvio de dinheiro (peculato), um caso de extorsão e outro de corrupção de menor.

Segundo a SECCOR, pessoas eram conduzidas à Delegacia por cometerem delitos e eram liberadas após pagarem propina aos agentes. Foi comprovada, também, a venda de um veículo – que havia sido apreendido por ter documentação irregular – para outro Estado.

Além disso, os policiais extorquiam uma funcionária da delegacia a lhes ceder uma parte de seu salário. O grupo também fazia um adolescente ameaçar e pegar o cartão da funcionária para sacar o dinheiro.

Além dos três delegados presos nesta semana, o escrivão Eldhon da Silva Costa também fazia parte dos esquemas do grupo. Sua prisão aconteceu no dia 22 de janeiro deste ano.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias