CYBER CRIME

Quadrilha é presa em São Luís por aplicar golpe em prefeito via WhatsApp

O chefe, Leonel Silva, já havia sido preso anteriormente por clonar números de ministros do governo Temer e do deputado Adriano Sarney

Leonel, líder de quadrilha que aplicava golpes em políticos via WhatsApp. Foto: Divulgação

Acaba de ser presa, na manhã desta sexta-feira (15), a Polícia Civil do Maranhão prendeu uma quadrilha por ter aplicado um golpe, via WhatsApp, ao prefeito do município santa catarinense Anita Garibaldi. Cinco pessoas foram presas na lan house onde atuavam, na Av. Daniel de La Touche, em São Luís, e seis mandados de busca ainda estão sendo executados.

Segundo o delegado Odilardo Muniz, do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos, o líder da quadrilha, Leonel Silva Pires Júnior, teria clonado o número de WhatsApp do prefeito para pedir uma quantia de R$ 250 mil para o Secretário de Finanças da cidade. Ao receber o dinheiro, foram transferidos R$ 25 mil à tia de Leonel, Eliane, e R$ ao advogado, José Santos Sobrinho.

Envolvidos no crime também estavam Anderson Sombra, tido como o “laranja” do grupo, e outro envolvido, seu sócio, ainda não identificado. O crime em questão ocorreu na metade do ano de 2018, e nesta manhã os cinco membros citados foram presos.

Estelionatário de longa data

A prisão desta manhã deve-se ao crime do município de Anita Garibalde, mas ainda há, em Santa Catarina, nove inquéritos solicitados a Leonel.

O líder já havia sido preso pela Polícia Federal, em 2018, por clonar o WhatsApp de ministros do governo Temer. Em março daquele ano, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo) e o ex-ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social), todos do MDB, tiveram os telefones fraudados e pediram investigação policial sobre o caso.

No total, cerca de 20 deputados estaduais e federais, ministros do governo federal e uma governadora foram abordados pelo golpe. Leonel se passava pelo deputado Adriano Sarney para conseguir os depósitos bancários.

“Ele tinha um núcleo jurídico, o advogado, mas que, agora, foi também foi preso. [Em 2018] conseguiu liberdade tanto pelo Maranhão quanto em Brasília. Ele foi solto em outubro e, agora, está sendo preso por outros golpes. Estelionatário sempre vai fazer golpe, então teremos que dar cumprimento. Quantas vezes mais ele fizer golpe, daremos prisão a ele”, explica o delegado.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS