Contra Fake News

Twitter anuncia opção de denunciar informações enganosas

Atualmente, o mecanismo funciona em teste nos Estados Unidos, na Coreia do Sul e na Austrália.

Twitter anunciou que vai expandir ao Brasil mecanismo que permite denunciar publicações que violem as regras sobre propagação de informações enganosas. (Foto: Divulgação/Twitter)

Após pressão de usuários e do Ministério Público Federal (MPF), o Twitter anunciou nessa segunda-feira (17) que vai expandir ao Brasil mecanismo que permite denunciar publicações que violem as regras sobre propagação de informações enganosas.

Atualmente, o mecanismo funciona em teste nos Estados Unidos, na Coreia do Sul e na Austrália, desde agosto do ano passado.

Além do Brasil, Filipinas e Espanha farão parte da expansão do mecanismo de denúncia. A plataforma alega que selecionou os três países porque quer “colher aprendizados de uma pequena, porém geograficamente diversificada, gama de regiões — incluindo aquelas em que o inglês não é o primeiro idioma — antes de tornar a ferramenta disponível globalmente”.

Segundo o Twitter, o fato de 2022 ser ano de eleições no Brasil e nas Filipinas também pesou na decisão e “contribuirá para a avaliação de como esta ferramenta de denúncias seria usada em períodos de grandes eventos cívicos”.

Campanha

A pressão sobre o Twitter cresceu há duas semanas, quando o combate às fake news virou alvo de críticas na própria rede social. A hashtag “#TwitterApoiaFakeNews” ficou no no primeiro lugar entre os assuntos mais comentados do Brasil, no último dia 5. Os usuários intensificaram a campanha para que o Twitter tivesse um mecanismo de denúncia contra informações enganosas, principalmente relacionadas à pandemia.

Entre as reclamações, o fato de a plataforma ainda não possibilitar a denúncia de publicações de publicações com informações falsas sobre a covid-19 no Brasil se destacou. Na ocasião, o Twitter informou que a ampliação do teste e eventual implementação da ferramenta para denunciar mensagens falsas sobre coronavírus em outros países dependeria dos resultados coletados.

A campanha trouxe destaque sobre o assunto e levou o Ministério Público Federal a pedir explicações ao Twitter sobre medidas de combate à desinformação implementadas na rede. O órgão questionou a empresa sobre a falta de uma opção aos usuários no Brasil para denunciar desinformação sobre a doença. O MPF pediu que a empresa enviasse uma resposta em até 10 dias úteis.

Monitoramento

Sobre a demora para expandir esse mecanismo ao Brasil, a plataforma alega que mais da metade do conteúdo que viola suas regras é detectada por sistema automatizados, e que o restante é identificado a partir do “monitoramento contínuo de equipes internas”.

O Twitter também divulgou que recebeu recebeu 3,73 milhões de denúncias referentes a 1,95 milhão de diferentes tuítes publicados por 64 mil contas distintas, desde o lançamento do mecanismo em teste, mas que pode não tomar medidas “em relação a todas as denúncias recebidas, assim como não poderemos responder a cada uma delas”.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias