TEATRO

Luiz Gama: o advogado da abolição desconhecido do Brasil no palco do TAA

A peça relata a história de um advogado negro que viveu entre 1830 e 1882, sofrendo todas as mazelas de uma época em que a cor era sinônimo de servidão.

Reprodução

O ator maranhense Deo Garcez junto com as atrizes Helen e Soraia Arnoni estão em cartaz com a peça de teatro “Luiz Gama: uma voz pela liberdade” neste sábado (17) e domingo (18) respectivamente às 20h e domingo às 19h.

A peça relata a história de um advogado negro que viveu entre 1830 e 1882, sofrendo todas as mazelas de uma época em que a cor era sinônimo de servidão. Mesmo nascido livre, pois seu pai era branco e sua mãe escrava alforriada, foi vendido como escravo, aos 10 anos, pelo próprio pai para pagar uma dívida de jogo. Ele mudou seu destino aprendendo a ler, escrever e, já na condição de advogado, mesmo sem ter o diploma, atuou em defesa dos negros, libertando mais de 500 escravos. Vítima de exclusão histórica, Luiz Gama recebeu em 3 de novembro de 2015, após 133 anos de sua morte, o título de Advogado da OAB.

Sobre Luiz Gama

Luíz Gonzaga Pinto da Gama foi um rábula, orador, jornalista, escritor brasileiro e o Patrono da Abolição da Escravidão do Brasil. Nascido de mãe negra livre e pai branco, foi contudo feito escravo aos 10, e permaneceu analfabeto até os 17 anos de idade. Conquistou judicialmente a própria liberdade e passou a atuar na advocacia em prol dos cativos, sendo já aos 29 anos autor consagrado e considerado “o maior abolicionista do Brasil”.

Apesar de considerado um dos expoentes do romantismo, obras como a “Apresentação da Poesia Brasileira”, de Manuel Bandeira, sequer mencionam seu nome. Teve uma vida tão ímpar que é difícil encontrar, entre seus biógrafos, algum que não se torne passional ao retratá-lo — sendo ele próprio também carregado de paixão, emotivo e ainda cativante. A despeito disto o historiador Boris Fausto declarou que era dono de uma “biografia de novela”.

Foi um dos raros intelectuais negros no Brasil escravocrata do século XIX, o único autodidata e o único a ter passado pela experiência do cativeiro; pautou sua vida na defesa da liberdade e da república, ativo opositor da monarquia, veio a morrer seis anos antes de ver seus sonhos concretizados.

SERVICO:

O que: Peça de teatro “LUIZ GAMA: uma voz pela liberdade”

Onde: Teatro Arthur Azevedo

Quando: Neste sábado (17) às 20h e domingo (18) às 19h

Quanto: Valor: R$ 40 inteira, R$ 30 OAB e R$ 20 meia-entrada

FICHA TÉCNICA:

Dramaturgia: Deo Garcez

Direção, figurino e cenografia: Ricardo Torres

Elenco: Deo Garcez e Soraia Arnoni

Áudio de apresentação (voz): Milton Gonçalves

Trilha sonora: Deo Garcez e Ricardo Torres

Iluminador: Vinícius Gaspar e Alan Leite

Operador de luz: André Calazans

Operador de som: Ricardo Torres

Produção: MS Events

Produção executiva: Alan de Jesus e Mário Seixas

Coprodução: Olhos D´Água e Nova Criativa Social

Programação Visual: Mário Seixas

Caracterização [barba] – Márcia Elias

Assessoria de imprensa: Alan de Jesus e Márcia Araújo

Fotos: Jean Yoshii, Vivian Fernández, Maurício Code, Valmyr Ferreira e Helena Mallet

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias