FESTEJO

Festejo de Santa Paulina inicia no Residencial Pinheiros

Este ano o tema será: “Agir, Testemunhar e Animar: Cristãos Leigos numa Igreja em Saída”. O largo terá início na sexta-feira, dia 29, após a missa que inicia às 19h. A novena começa sábado, dia 30, às 17h, seguida de Missa.

Reprodução

De 30 de junho a 09 de julho será realizado em São Luís o Festejo de Santa Paulina. A celebração a Santa Paulina, primeira santa do Brasil, ocorrerá na Paróquia Santa Paulina, no Residencial Pinheiros. Este ano o tema será: “Agir, Testemunhar e Animar: Cristãos Leigos numa Igreja em Saída”. O largo terá início na sexta-feira, dia 29, após a missa que inicia às 19h. A novena começa sábado, dia 30, às 17h, seguida de Missa.

O tema trabalhado este ano no Festejo de Santa Paulina retrata o ano do laicato, tema celebrado pela igreja católica do Brasil em 2018, cujo lema é “Sal da Terra e Luz do Mundo” (Mt 5, 13.14). Seguindo esta linha, o cristão leigo é convidado a ser missionário na família, no trabalho e onde quer que esteja. Segundo o padre e pároco Valdenir Tadeu da Cunha, a Paróquia Santa Paulina vem trabalhando a igreja em saída nas comunidades, principalmente com a realização das Santas Missões Populares, no mês de fevereiro. “Entendemos que o leigo deve assumir o protagonismo na igreja. E nós, enquanto religiosos, devemos estimular a participação e presença efetiva deles enquanto missionários de cristo”, destacou.

A Paróquia Santa Paulina é formada por 5 comunidades: Santa Paulina (Matriz – Residencial Pinheiros), Nossa Senhora da Misericórdia (Residencial Primavera), Nossa Senhora da Conceição (Ipem-Angelim), Nossa Senhora das Graças (Cantinho do Céu) e São Marcos (Farol de São Marcos – Turu).

Uma das particularidades durante o Festejo de Santa Paulina são as bênçãos a cada dia do festejo. Serão realizadas as bênçãos dos idosos, dos leigos, dos profissionais e empreendedores, das imagens e do terço, da água, do pão, dos catequistas e catequisandos, dos jovens e estudantes, das famílias e das chaves e documentos.

Santa Paulina – Uma Santa para o nosso tempo

Nascida no dia 16 de dezembro de 1865, em Vígolo Vattaro, Trentino Alto Ádige, norte da Itália recebeu o nome de Amábile Lúcia Visintainer. Madre Paulina era a segunda filha de Antônio Napoleone Visintainer e Anna Pianezzer. Imigrante italiana radicada no Brasil desde os nove anos de idade, Santa Paulina adotou o Brasil como sua pátria e os brasileiros como irmãos.

Imigrou para o Brasil, juntamente com seus pais, seus irmãos e outras famílias da região Trentina, no ano de 1875, estabelecendo-se na localidade de Vígolo – Nova Trento – Santa Catarina – Brasil. Em 1887 faleceu sua mãe e Amábile cuidou da família até o pai contrair novo casamento. Desde pequena ajudava na Paróquia de Nova Trento, especificamente na Capela de Vígolo, como paroquiana engajada na vida pastoral e social.

Processos de Beatificação e Canonização

O primeiro milagre foi registrado em Imbituba (SC), no qual foi reconhecida a cura instantânea, perfeita e duradoura de Eluíza Rosa de Souza, que possuía uma doença complexa: a morte intra-uterina do feto e sua retenção por alguns meses; extração com instrumentos e revisão do útero, seguida de grande hemorragia e choque irreversível. O caso foi discutido e, posteriormente, o Santo Padre ratificou em decreto aprovando as conclusões da Congregação para as Causas dos Santos.

Já o segundo milagre comprovado ocorreu com a menina Iza Bruna Vieira de Souza, de Rio Branco (AC). Ela nasceu com má formação cerebral, diagnosticada como “meningoencefalocele occipital de grande porte”. No 5º dia de vida, foi submetida, embora anêmica, a uma cirurgia e, depois de 24 horas, apresentou crises convulsivas e parada cardiorrespiratória. A avó da menina, Zaira Darub de Oliveira rezou à Madre Paulina durante toda a gestação da filha e também durante o período no Hospital. A menina Iza Bruna foi batizada no próprio Hospital, dentro do balão de oxigênio, e logo se recuperou. A cura foi atestada pelo Santo Padre e, no dia 19 de maio de 2002, o Papa João Paulo II canonizou Santa Paulina, reconhecendo suas virtudes em grau heróico: humildade, caridade, fé, simplicidade, vida de oração, entre outras.

Confira a programação na próxima página.

Próxima »1 / 2
VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS